Carreira em tech

De olho no metaverso? Apple busca profissionais interessados em Web 3.0

Empresa divulgou anúncios de vagas ligados à Web 3.0, mas logo tirou as páginas do ar

Por  CoinDesk -

A gigante do Vale do Silício Apple (AAPL34) está procurando um diretor criativo e um diretor de arte com conhecimentos em Web 3.0 para compor sua equipe.

De acordo com dois anúncios de emprego publicados recentemente em seu site de carreiras, uma das vagas busca um candidato a diretor criativo com “interesse demonstrado em plataformas interativas e Web 3.0”.

A outra é para um diretor de arte que tenha “paixão por experimentação e inovação, demonstrando interesse na Web 3.0”. A Apple removeu as vagas do site após a notícia vir à tona, mas elas ainda podem ser vistas circulando em sites de empregos na internet.

Ambas as posições são para funções na equipe de marketing e engajamento de varejo da empresa.

Esta não é a primeira vez que a Apple procura por especialistas ligados ao setor de criptoativos. Em meados de abril do ano passado, a empresa estava em busca de um especialista em cripto para liderar os esforços de parcerias para pagamentos.

Leia mais:
Apple lucra US$ 19,4 bi no 3º tri fiscal, acima do previsto; ações sobem no after-market

Apesar disso, a Apple ainda mantém uma relação enigmática com as criptomoedas, nunca fazendo declarações públicas sobre seu plano de entrar no setor. As vagas são as únicas duas postagens no quadro de carreiras da Apple com menção à Web 3.0.

A Apple não respondeu ao pedido de comentário do CoinDesk.

Postura conservadora

Embora a Apple pareça estar em posição de destaque no que se chama de “era da computação imersiva”, o amplo controle da empresa sobre a distribuição pode estar prejudicando a indústria. A avaliação é de Matthew Ball, sócio-gerente da empresa de capital de risco Epyllion Co.

“A Apple não permite mundos virtuais baseados em cripto”, disse Ball ontem ao CoinDesk. “Eles estão impedindo com sucesso um tipo específico de inovação e categoria disruptiva.”

Segundo ele, ao evitar mundos virtuais complexos, a gigante do Vale do Silício está exercendo influência indevida sobre “o que está ou não disponível” no mercado.

Ball destaca que o metaverso não é o único setor que a Apple aparentemente excluiu de seu influente mercado de aplicativos. Há ainda uma postura conservadora em relação a criptomoedas, disse.

“Se você considerar a maioria dos jogos de criptomoedas hoje, eles não estão disponíveis para iOS [o sistema operacional do iPhone] ou, quando estão, são relativamente rudimentares”, disse Ball. Ele observou, no entanto, que alguns desses programas não permitidos na App Store ainda poder ser acessados por meio de navegador.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe