Pessimistas

De mal a pior: Itaú espera retração de 0,4% no PIB do 1º trimestre e 1,5% no ano

Se a projeção se confirmar, será a sétima queda trimestral consecutiva do PIB nacional, que será divulgado pelo IBGE na sexta-feira de manhã

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Se para o fim de 2015, especialistas projetam um PIB (Produto Interno Bruto) negativo em pelo menos 1%, a equipe do Itaú Unibanco (ITUB4), mostra este pessimismo tendo início já no resultado do primeiro trimestre, que será divulgado nesta sexta-feira (29), às 9h00 (horário de Brasília). O banco espera uma redução de 0,4% na economia em comparação ao quarto trimestre de 2014, e de 1,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Se a projeção se confirmar, será a sétima queda consecutiva do PIB nacional, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Para o trimestre atual, a situação deve piorar ainda mais, com o PIB registrando queda de 1%, levando o País a registrar no fim do ano uma retração econômica de 1,5%, segundo o economista Rodrigo Miyamoto, que assina o relatório do Itaú.

Falando do consumo familiar, o relatório indicou que a fraqueza da demanda interna deve continuar. O que de fato poderá ser observado será uma diminuição no consumo das famílias graças à contração da massa salarial que já se observa nos últimos meses. 

Aprenda a investir na bolsa

Sobre a indústria o banco afirmou que “pela ótica da oferta, esperamos que o PIB tenha retraído 2,2% ante o trimestre anterior, após ajuste sazonal”, disse o economista Rodrigo Miyamoto em relatório. A estimativa está de acordo com os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM – IBGE) que mostrou queda de 2,7% na produção da indústria de transformação e um recuo de 2,0% na de insumos típicos da construção civil. 

As informações divulgadas recentemente revalidam o cenário. O índice de difusão (baseado em um conjunto amplo de dados, incluindo, entre outros, a confiança de empresários e consumidores, as vendas no varejo e a demanda por crédito) mostra uma piora adicional na margem. No mês de abril, a média móvel do trimestre indica uma difusão equivalente ao menor nível desde 2008. Ainda na sexta, também serão apresentadas as Contas Nacionais Trimestrais.