Moedas Digitais

Day trade com bitcoin? Sim, é possível; veja como

Com o rali de 100.000.000% desde sua criação, o bitcoin tem despertado interesse em muitos investidores; em entrevista ao InfoMoney, o fundador da empresa Mineirama, Nickolas Goline, diz como comprar a moeda e negociá-la nas corretoras especializadas 

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Com ganhos de 100.000.000% desde sua criação e com perspectivas cada vez mais animadoras (há quem veja a moeda atingindo os US$ 100.000,00 nos próximos 5 anos), o bitcoin tem despertado o interesse de muitos nos últimos meses e, para aqueles que são aficionados com bolsa, isso normalmente se traduz em dúvidas como: é possível operar? Tem como realizar day trade com moedas digitais?

A China é uma ameaça para o futuro do bitcoin? Descubra hoje nesse workshop online, ao vivo e gratuito!

Segundo Nickolas Goline, fundador da empresa Mineirama e professor do curso sobre bitcoins do InfoMoney (veja aqui), sim, é possível a negociação em qualquer corretora de moedas digitais. Ele explica, inclusive, em um vídeo gravado para o programa “Mundo Bitcoin”, da InfoMoneyTV, como realizar a compra de moedas digitais no Brasil (confira). 

A abertura de contas, comenta, tem demorado cerca de dois dias por conta do crescimento da demanda em torno da moeda após recente disparada. Mas, feito isso, o investidor já terá acesso à plataforma das corretoras, onde é possível habilitar o perfil “trader” (se for o caso) para negociar a compra e venda da moeda. A taxa de corretagem, aponta o especialista, costuma girar em torno 0,5% tanto em bitcoin quanto em real.

Mas não espere buscar aqui no Brasil uma liquidez similar à da B3, por exemplo, que movimenta em ações por dia cerca de R$ 8 bilhões. Para se ter uma ideia, a maior corretora de moedas digitais atualmente no País – a FoxBit – girou ontem cerca de R$ 20 milhões, em mais de 9.000 negócios. 

Por conta disso, o analista técnico Rodrigo Cohen, que aderiu à onda das moedas digitais e gravou um vídeo em seu canal do YouTube contando como comprou bitcoin pela primeira vez (veja aqui), alertou para a importância do investidor ficar de olho no “spread” que pode ter entre as ordens de compra e venda da moeda. “Para o investidor de longo prazo, isso não vai fazer diferença. Acredito que a tendência do preço seja para cima. Mas, para o investidor de curto prazo, isso pode fazer toda a diferença”, comentou. Em entrevista recente para o InfoMoney, o analista disse que o gráfico do bitcoin aponta como alvo para os próximos meses os US$ 8.000,00 – o que representaria praticamente dobrar de valor (confira). 

Vale menção ainda que, como no Brasil o mercado de bitcoin ainda pequeno, o investidor tem como alternativa abrir uma conta em uma corretora estrangeira, onde ele teria acesso a outras moedas digitais e a liquidez é bem maior. Nesse caso, o investidor teria que ter uma conta aberta no Brasil, já que ele precisaria comprar o bitcoin aqui para enviar para fora e lá realizar, se desejasse, a compra de outras moedas. Não é permitido, por exemplo, ao investidor brasileiro abrir uma conta em corretora estrangeira (Estados Unidos, no caso) e comprar a moeda digital em dólar – isso só seria possível se ele também tivesse residência naquele país. 

Quer aprender mais sobre Bitcoin? Baixe gratuitamente o melhor livro sobre o assunto já escrito no Brasil