Turísmo

CVC (CVCB3) reverte lucro e tem prejuízo de R$ 145 milhões no 4º trimestre; receita salta 92%

Receita cresceu pelo maior tíquete médio em viagens domésticas (alta temporada) e alta na demanda internacional, sobretudo na Argentina

Por  Felipe Moreira -

A CVC (CVCB3) registrou um prejuízo líquido de R$ 145,8 milhões no quarto trimestre, revertendo lucro de R$ 392,5 milhões do quarto trimestre do ano passado.

Segundo a empresa, no quarto trimestre do ano passado, o resultado líquido foi impactado positivamente por R$ 321,3 milhões, referentes a imposto de renda e contribuição social por conta de resultado negativo de 2020.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi negativo em R$ 35,4 milhões, contra resultado negativo de R$ 109,9 milhões no 4T20. Já o Ebitda ajustado somou R$ 8,9 milhões, ante resultado negativo de R$ 112,6 milhões de um ano antes.

A receita líquida no 4T21 cresceu 92,9% em relação ao 4T20, em virtude, principalmente, do maior tíquete médio em viagens domésticas (alta temporada), e incremento na demanda por viagens internacionais, sobretudo na Argentina, com consumidores possivelmente reagindo de forma antecipada a potenciais mudanças daquele país.

O lucro bruto totalizou R$ 314 milhões no 4T21, incremento de 92,9% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Mais dados do balanço da CVC (CVCB3)

As despesas financeiras no 4T21 tiveram redução de 53,0% em relação ao 4T20, influenciadas pela variação do valor justo de opções e impacto positivo de variação cambial do exercício.

No 4T20, a companhia teve despesa de “waiver fee” de aproximadamente R$ 40,2 milhões em virtude da renegociação da dívida.

As despesas gerais e administrativas cresceram 8,6% no 4T21 em comparação ao mesmo trimestre de 2020 por reajuste salarial decorrente de acordo sindical (dissídio, em 10%), maiores despesas com TI e ausência da economia gerada pela redução de jornada de trabalho ocorrida no 3T21, compensados em parte pela reversão de parte da provisão de bônus.

A companhia encerrou o ano com dívida líquida de R$ 322,9 milhões, menor patamar dos últimos 2 anos. Em agosto, a empresa concluiu processo de capitalização com ingresso líquido de R$ 806,6 milhões de capital em 2021, destinados à amortização de debêntures e reforço do capital de giro.

Em 31 de dezembro de 2021, o total do patrimônio líquido, incluindo participação dos acionistas e não controladores foi de R$ 375,3 milhões em comparação a um saldo de R$ 57,7 milhões em 31 de dezembro de 2020.

“Este aumento decorre essencialmente da capitalização realizada em 31 de agosto de 2021 com a emissão de aproximadamente 23,8 milhões de novas ações ordinárias.”

CVC balanço patrimonial

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe