CSS é rejeitada por 69% dos entrevistados em pesquisa do DataSenado

Desaprovação é maior entre pessoas com maior renda e escolaridade; Norte e Nordeste são as regiões de maior aceitação

Equipe InfoMoney

Publicidade

SÃO PAULO – A CSS (Contribuição Social para a Saúde) é rejeitada por 69% dos entrevistados em pesquisa telefônica do DataSenado, conforme divulgado pela Agência Senado. O projeto que aprova o novo tributo está em tramitação na Câmara e já teve seu texto base aprovado. Entre os entrevistados, 80% consideram que a aprovação da CSS significa recriar a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), extinta pelo Senado em dezembro de 2007.

Critérios

A pesquisa constatou que quanto maior a renda dos entrevistados, menor é o apoio à CSS. Dos trabalhadores que ganham até dois salários mínimos, 39% aprovam a criação da contribuição, contra 21% da faixa dos que ganham mais de 5 salários mínimos. Desaprovam a CSS 56% dos que ganham até dois salários mínimos, e 79% dos com renda maior que cinco salários mínimos.

Considerando a faixa de escolaridade como critério, os resultados mostraram que dentre os que têm até a 8ª série, 40% aprovam e 55% desaprovam a CSS. Entre os entrevistados com nível superior, 19% são favoráveis e 81% contrários à nova contribuição.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Regional

A pesquisa divulgou, ainda, que a maior aprovação à CSS está entre os entrevistados das Regiões Norte e Nordeste. Na Região Sul, 28% concordam com a criação da contribuição. Para Sudeste e Centro-Oeste, o resultado da pesquisa é de 27% e 24% de aprovação, respectivamente.

O número de entrevistados que não associa a CSS à CPMF é de 16%. Destes, 57% aprovam a proposta. Das pessoas que consideram a CSS como uma volta da CPMF, 76% não desejam a aprovação do projeto.

A pesquisa do DataSenado foi realizada por telefone, entre 6 e 16 de Junho. Foram ouvidas 1120 pessoas com mais de 16 anos residentes em capitais. Antes de se posicionarem sobre o assunto, os entrevistados foram informados de que a CSS prevê a cobrança de 0,1% sobre operações financeiras.