Mineração e siderurgia

CSN (CSNA3 CMIN3) crê em aumento do preço do minério e retomada na China; ações desabam após balanço

Executivos pontuaram efeitos negativos que as chuvas causaram sobre resultados de mineração, mas também de logística e operação de estoques

Por  Augusto Diniz

Os executivos da CSN (CSNA3) e da CSN Mineração (CMIN3) destacaram os impactos das chuvas acima da média no Brasil no primeiro trimestre, o que fez o resultado de ambas companhias – pertencentes ao mesmo grupo – serem prejudicados.

Na CSN Mineração, além do impacto das chuvas na produção de minério de ferro, houve efeito negativo do novo lockdown na economia chinesa. Segundo Benjamin Steinbruch, CEO e chairman da CSN, a empresa de mineração teve “um trimestre bastante complicado em função das chuvas”.

Segundo o executivo, “chuvas estas que não eram só uma questão da mineração, mas logística, tanto ferroviária quanto portuária, com implicação grande na operação dos estoques”. De acordo com o reportado pela empresa, a produção de minério de ferro caiu 6,5% no 1T22, como resultado das fortes chuvas.

As declarações ocorreram durante apresentação de teleconferências das empresas para comentas os resultados do primeiro trimestre. A CSN lucrou R$ 1,364 bilhão no 1º trimestre, representando uma queda de 76%. Enquanto a CSN Mineração teve lucro 68% menor, de R$ 739 milhões.

No pregão desta quinta-feira, as ações das duas empresas tiveram forte queda. As ações da CMIN3 recuavam 6,48%, cotadas a R$ 4,90. Já as ações CSNA3 desvalorizaram-se 6,47%, cotadas a R$ 20,08.

Chineses dependem do minério brasileiro

Steinbruch comentou ainda que “em algum momento a China vai deixar o lockdown” e as “confusões logísticas”. Para ele, a recuperação da China depende, do ponto de vista da siderurgia, do minério brasileiro. “Estamos otimistas com (aumento de) preço”, disse Steinbruch.

Segundo ele, o minério foi penalizado em função da situação chinesa, mas a tendência é de correção de preços. Além disso, afirmou que a recuperação com melhoria do preço do minério já vem ocorrendo desde o final do primeiro trimestre deste ano.

Sobre custos, ele acredita ser uma “questão pontual” no mercado. “É claro que temos preocupação com a inflação e os custos, e que tem parâmetros internacionais, com petróleo e energia”, disse. Ele afirmou ainda que a mineradora tem mantido estoques altos de minério seguindo uma estratégia da companhia.

“Queremos manter a produção independente de qualquer condição climática e logística”, afirmou, ressaltando que a companhia manterá aumento de volume de minério. “Estamos priorizando estoque de minério de alta qualidade”, disse.

CSN

Ainda sobre a conjuntura, Steinbruch destacou que a guerra entre Rússia e Ucrânia, além do lockdown da China, trazem dificuldades de análise do cenário

“Sabemos da dificuldade de tudo o que está acontecendo. São variáveis novas e diferentes. A guerra (entre Rússia e Ucrânia), o lockdown da China, a questão das matérias-primas e a inflação de custos são todas coisas novas”, afirmou. “Para cada uma delas vamos nos posicionar de uma forma.”

Margens

O executivo pontuo ainda que a CSN vai priorizar margens e preços em todas atividades, reforçando disse que a empresa vem transferindo o aumento de custos e das matérias-primas aos clientes

“E vamos seguir fazendo isso. Essa será nossa bandeira”, disse, acrescentando que a inflação de custos tem que ser repassada “obrigatoriamente para não prejudicar margens”.

Segundo semestre

Steinbruch afirmou ainda que a empresa está otimista com o mercado e que vai focar os negócios no mercado interno.

“O que nos compete em produção, preço, estrutura de capital – captações para reduzir custos da dívida – estamos fazendo. Acreditamos em um segundo semestre melhor”, disse.

Segundo ele, a empresa mantém neste segundo trimestre os repasses de custos que ocorreram no 1º trimestre. “Em cimento e siderurgia vamos seguir aumentado preços”, afirmou.

Caminhões elétricos

Pedro Oliva, CFO da CSN Mineração, afirmou que a companhia assinou acordo com a chinesa Sany para se tornar a primeira mineradora do Brasil a utilizar caminhões 100% elétricos em sua frota.

Neste segundo trimestre do ano, entram em operação já dois caminhões elétricos que irão compor a frota para transporte dos rejeitos de mineração da Mina Casa de Pedra, em Congonhas (MG).

Ele disse ainda que o frete marítimo utilizado pela companhia para transporte de minério teve queda de preço de 26% em relação ao trimestre anterior.

A rota Porto de Tubarão, em Vitória (ES), a Qingdao, na China, atingiu média de US$ 22,9/wmt (tonelada base úmida) no 1T22, impactando na receita líquida.

Análise dos balanços

Margens melhores, mas lucros piores

Tanto a CSN Mineração quanto a CSN apresentaram um resultado que analistas da Genial consideram positivos: apresentando bons números operacionais superando as expectativas com boas margens de Ebitda.

Por outro lado, o lucro líquido de ambas foi pressionado pela valorização do real frente ao dólar impactando as variações cambiais líquidas e o fluxo de caixa operacional pesou negativamente devido sobretudo aos gastos com capital de giro.

Entretanto, a casa de análise julga o resultado na totalidade como positivo, dados os desafios envolvendo as chuvas e as consequentes paralisações na mineração, enquanto a siderurgia conseguiu aumentar o volume de vendas compensando a pequena redução no preço realizado.

Fluxo de caixa negativo

Para a XP, a CSN Mineração (CMIN3) viu o bom resultado Ebitda ofuscado por uma geração de fluxo de caixa negativa. O Ebitda ajustado veio 11% acima das estimativas da XP e 1% acima do consenso.

Os números acima das nossas estimativas foram principalmente decorrentes de despesas gerais e administrativas e custos abaixo do esperado.

Em relação ao trimestre anterior, o Ebitda melhorou principalmente em função de melhores preços e menores custos de frete, compensados parcialmente por volumes mais fracos. O destaque negativo foi a geração negativa de R$ 2,5 bilhões de Fluxo de Caixa Livre, em função da variação do capital de giro e impostos pagos.

A corretora reitera recomendação de compra, com preço-alvo de R$ 7,8 por ação.

Ebitda se destaca na CSN

Para o Morgan Stanley, a CSN teve um Ebitda que superou o consenso, mas lucro abaixo do esperado. O Ebitda normalizado foi 5% superior à estimativa do banco – maiores receitas e menores despesas gerais e administrativas impulsionaram o ritmo.

No entanto, o lucro por ação (LPA) normalizado foi de R$ 0,90, bem abaixo do consenso de R$ 1,34 e da estimativa do Morgan de R$ 1,35.

Segundo analistas, os resultados operacionais foram ofuscados por maiores despesas financeiras líquidas e uma maior alíquota efetiva de impostos, explicando o desempenho inferior.

Morgan Stanley permanece equal-weight (na média do mercado) em CSN, com preço-alvo de R$ 28.

Fortes resultados

Conforme o Bradesco BBI, a CSN (CSNA3) registrou um trimestre mais forte do que o esperado com resultados saudáveis em todas as linhas.

O desempenho de volume da divisão de aço foi um destaque positivo, tanto no mercado interno quanto no mercado externo, enquanto os custos aumentaram ligeiramente no trimestre. Os preços realizados recuaram 4% sequencialmente.

No lado da mineração, os preços realizados reverteram os ajustes provisórios que impactaram negativamente nos últimos dois trimestres, enquanto o desempenho de volume e custo surpreendeu um pouco no lado positivo.

O banco mantém classificação outperform para o papel.

Destaque na mineração

Para o Itaú BBA, a CSN (CSNA3) teve fortes resultado, com destaque para a mineração. A quase duplicação do preço realizado do minério de ferro no trimestre mais do que compensou os ventos contrários de menores volumes, maiores custos e valorização do real.

A divisão de aço, por sua vez relatou uma deterioração do Ebitda, uma vez que a queda de 4% no trimestre anterior nos preços domésticos do aço e os custos mais altos mais do que compensaram uma melhora de 9% no trimestre anterior nos volumes domésticos.

Itaú BBA mantém avaliação market perform (média do mercado) para CSN e CSN Mineração, com preço-alvo de R$ 25 e US$ 4,50, nesta ordem.

Chuvas

O Bradesco BBI ressaltou ainda que a CSN Mineração (CMIN3) reportou forte recuperação dos resultados no primeiro trimestre, por mais que os volumes tenham permanecido abaixo do potencial, impactados por fortes chuvas.

Segundo relatório, os resultados do primeiro trimestre foram sólidos na visão dos analistas do banco, com realização de preços mais saudáveis e desempenho de custos.

Olhando para o futuro, os preços contínuos do minério de ferro e os volumes sazonalmente mais altos devem sustentar o impulso dos lucros.

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 9,50.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe