Análise de resultados

CSN aumenta lucro em 12 vezes e CSN Mineração tem trimestre recorde: analistas estão otimistas com geração de caixa e desalavancagem

Aumento nos preços do minério de ferro mais do que ofuscou custos, tornando o segundo trimestre "memorável" para as empresas

SÃO PAULO – A CSN (CSNA3) e sua subsidiária, a CSN Mineração (CMIN3) tiveram números considerados fortes pelos analistas na esteira da valorização do minério de ferro. Apesar da queda das ações hoje, as perspectivas são positivas para ambas e para os setores de mineração/siderurgia como um todo.

Leonardo Neratika, do Bank of America, previu para o setor “um trimestre memorável”, com as empresas se beneficiando de um minério de ferro a US$ 200 por tonelada.

Começando pela CSN, a companhia reportou um lucro líquido de R$ 5,5 bilhões no segundo trimestre de 2021, o que corresponde a uma queda de 3% ante o primeiro trimestre e uma disparada de 1.136% na comparação com o mesmo período do ano passado (aumento de 12 vezes). Para analistas, os números foram fortes.

Segundo a equipe de análise do Morgan Stanley, o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) Ajustado de R$ 8,174 bilhões foi o destaque do balanço, vindo 4% acima do consenso das projeções.

Já a receita líquida somou R$ 15,392 bilhões, o que representa um aumento de 147% quando comparado com o segundo trimestre de 2020 e de 29% na comparação com o primeiro trimestre de 2021.

O banco americano calcula o Ebitda normalizado em R$ 7,957 bilhões, o que está em linha com os R$ 7,9 bilhões que esperavam os analistas Carlos de Alba, Eduardo Bordalo e Jens Spiess. “Relativamente ao nosso modelo, custos de bens vendidos abaixo do estimado mais do que ofuscaram as receitas menores devido aos volumes de mineração e aço e as despesas com vendas mais elevadas”, comentam.

Para eles, o foco ficou na desalavancagem, uma vez que a dívida líquida caiu 35% na comparação com o trimestre anterior apoiada em uma forte geração de caixa e na venda de ações da Usiminas (USIM5).

A recomendação do Morgan Stanley para os papéis CSNA3 é overweight (peso recomendado em carteira acima da média do mercado) com preço-alvo estimado de R$ 60,00, o que corresponde a uma valorização de 27,99% sobre o valor de fechamento das ações na terça-feira (27).

Já os analistas Daniel Sasson, Ricardo Monegaglia e Edgard Pinto de Souza, do Itaú BBA, escrevem que a performance da CSN foi positiva em toda a operação, com a divisão de mineração contribuindo com 62% do Ebitda consolidado em meio ao aumento no valor do minério de ferro e maiores volumes de vendas, que mais do que ofuscaram a elevação de custos.

PUBLICIDADE

Do lado da divisão de aço, foi reportado um aumento trimestral de 48% no Ebitda devido a um crescimento de 26% nos preços domésticos no segundo trimestre e apesar de um declínio de 3% nos volumes e de um incremento de 17% nos custos de bens vendidos, aponta o Itaú BBA.

As receitas de aço da CSN chegaram a R$ 6,4 bilhões, aumento de 25% na comparação com o primeiro trimestre deste ano apesar da queda de 2% nos embarques e de 5% nas exportações.

“Mais importante, os preços do aço doméstico aumentaram em torno de 26% no trimestre, seguindo o carryover dos aumentos implementados no 1T21; rodadas bem-sucedidas de aumentos de preços para distribuidores durante o trimestre; e redefinições de contratos para clientes nos setores automotivo e industrial.”

Os analistas também se disseram “animados” com a queda de R$ 7,3 bilhões na dívida líquida no trimestre. Com isso, o indicador de alavancagem dívida líquida dividida pelo Ebitda caiu para 0,6 vezes, contra 1,3 vezes no primeiro trimestre de 2021, atingindo as metas de fim de ano da empresa.

A recomendação dos papéis ordinários da CSN pelo Itaú BBA é outperform (desempenho esperado acima da média do mercado) com preço-alvo de R$ 61,00, o que representa uma valorização de 30,12% sobre o fechamento de ontem.

Quem também analisou o resultado da CSN foi a Levante Ideias de Investimento, que destacou além dos volumes e margens que a geração de caixa livre de R$ 5,35 bilhões (2,89 bilhões para a CMIN3), representou cerca de 8% do valor de mercado total da CSN somente neste trimestre.

“Os números vieram fortes. Mesmo com estimativa do mercado esperando um resultado bem acima dos trimestres anteriores, a CSN superou as expectativas, assim como a CMIN”, argumentam os analistas.

A Levante lembrou ainda que a companhia anunciou a aprovação de um dividendo intermediário de R$ 1,75 bilhão, ou R$ 1,27 por ação de CSNA3, com a última data válida para recebimento dos proventos sendo no dia 30 de julho.

PUBLICIDADE

Não obstante os números positivos, as ações da CSN caíam 1,92% a R$ 45,98 às 13h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira (28).

CSN Mineração

Já o resultado da CSN Mineração foi recorde, como lembraram os analistas do Bradesco BBI, Thiago Lofiego e Isabella Vasconcelos. O Ebitda foi de R$ 4,96 bilhões, número 2% acima da estimativa de R$ 4,87 bilhões que tinha o banco, além de 35% superior ao valor registrado no primeiro trimestre e 256% maior do que o reportado no segundo trimestre de 2020.

O lucro líquido da empresa foi de R$ 2,5 bilhões, o que representa uma expansão de 6% na comparação trimestral e de 205% em um ano. A receita líquida foi de R$ 7,345 bilhões, alta de 34% ante o primeiro trimestre e de 175% na base anual.

Entre os destaques apontados pelo banco, as vendas de minério de ferro alcançaram 9,1 milhões de toneladas, em linha com o esperado pelo Bradesco, mas 11% acima do registrado nos três primeiros meses do ano e 18% maior do que o reportado no mesmo período do ano passado.

A realização de preços, por sua vez, veio 2% superior ao estimado pelo Bradesco 26% mais alta do que no trimestre passado. A geração de fluxo de caixa livre também foi vista como forte, atingindo R$ 2,9 bilhões, sendo impulsionada principalmente pelo Ebitda.

Nos custos, o desempenho veio em linha com o previsto, porém ainda superior na comparação trimestral devido às taxas mais altas de frete, custos de aquisições de terceiros e despesas com portos.

O Bradesco tem recomendação outperform para a CSN Mineração, com preço-alvo de R$ 14,00, o que representa uma valorização de 52,67% sobre o fechamento da ação na terça-feira.

Yuri Pereira, da XP, por sua vez, ressaltou além desses pontos o anúncio da distribuição de dividendos de, aproximadamente, R$1,8 bilhão. São R$ 0,33 por ação, o que dá um dividend yield (valor dos dividendos dividido pelo preço da ação) de 3,6%.

PUBLICIDADE

Os proventos têm data ex em 30 de julho, o que significa que quem quiser recebê-los deve ter os papéis CMIN3 em carteira no fechamento do dia 29 (quinta-feira).

Na avaliação do Bradesco BBI, o dividend payout (parcela dos lucros distribuídos na forma de dividendos aos acionistas) no primeiro semestre foi de 38%, bem abaixo dos 80% esperados, mas a administração da empresa confirmou a meta de distribuição de 80% a 100% dos lucros em 2021, de modo que os proventos devem aumentar significativamente no próximo semestre.

A XP tem recomendação de compra para CSN Mineração com preço-alvo de R$ 14 por ação, o que significa um upside de 52,67% sobre o fechamento de terça.

Os papéis CMIN3 caíam 0,65% a R$ 9,11 às 13h32 desta quarta.

Veja abaixo o compilado de recomendações de bancos, corretoras e casas de análise para CSN e CSN Mineração de acordo com dados compilados pela Refinitiv.

EmpresaTickerRecomendações de compraRecomendações neutrasRecomendações de vendaPreço-alvo médioValorização até o preço-alvo
CSNCSNA31110R$ 53,0213,1%
CSN MineraçãoCMIN31010R$ 12,7739,26%

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.