AO VIVO Liga de FIIs: Pit Money abre sua carteira de fundos imobiliários e mostra seus preferidos

Liga de FIIs: Pit Money abre sua carteira de fundos imobiliários e mostra seus preferidos

Crise fiscal, PIB japonês e fim do QE2 trazem fluxo negativo a fundos de desenvolvidos

Segundo dados da EPFR Global, fundos de ações de desenvolvidos tiveram captação negativa de US$ 5,43 bi na última semana

SÃO PAULO – Apesar do desempenho nada animador da captação dos fundos de ações emergentes, os fundos de renda variável dos mercados desenvolvidos também não tiveram uma semana nada positiva. Os dados da consultoria EPFR Global mostram que US$ 1,64 bilhão saiu dos fundos dos emergentes, mas outros US$ 5,43 bilhões foram retirados de fundos de desenvolvidos no mesmo período.

Assim como nos emergentes, os principais responsáveis por essa saída de capital na semana terminada em 18 de maio foram os investidores institucionais. Segundo a EPFR, a última vez que essa escala de retirada de capital foi vista nesse grupo foi novembro do ano passado.

Aqui, pesaram os problemas já usuais – as dúvidas quanto à saúde fiscal europeia, em especial a da Grécia, dados mistos sobre a recuperação e a iminente retirada das políticas fiscais e monetárias acomodativas. Apesar dos problemas, os fundos com e exposição mais diversificada, como os Global Equity Funds, registraram nova semana de captação líquida positiva, pela 19ª vez nas 20 semanas de 2011.

Desempenho dos principais grupos
Os fundos de ações japoneses, por exemplo, registraram saldo de captação negativo pela 6ª semana nas últimas oito. O PIB japonês, vale lembrar, mostrou que a economia do país recuou no primeiro trimestre desse ano.

Já os fundos de ações europeus, apesar de fecharem no campo negativo, tiveram a contribuição da Alemanha. Os fundos ligados à renda variável da maior economia da Zona do Euro registraram novas captações pela 17ª semana entre as 20 do ano.

Os fundos de ações norte-americanos, por sua vez, foram ajudados por fundos de gestão ativa – em especial os focados em mid caps. Mas as saídas de capital dos ETFs (Exchange Traded Funds), lideradas por investidores institucionais, fizeram com que o grupo registrasse saldo de captação negativo na semana.