Desastre de Mariana

Credores da Samarco rejeitam nova proposta de reestruturação

Detentores de títulos da mineradora reclamam do corte da dívida de 75% e dizem que a proposta ‘apenas beneficia os acionistas’

Por  Equipe InfoMoney -

Os detentores de títulos da mineradora Samarco, uma joint venture entre a Vale e o grupo BHP, rejeitaram a nova proposta de reestruturação da empresa, segundo documento judicial.

Gestores de ativos como Citadel, Maple Rock, Moneda, Oaktree e Solus disseram no documento arquivado por seus advogados na segunda-feira (7) que a nova proposta da Samarco “apenas beneficia os acionistas”.

Os credores reclamam do corte da dívida (“haircut”) de 75% sobre o valor de face dos créditos e dizem que a alternativa de transformar sua dívida em patrimônio não dará direito a voto quando se tornarem acionistas.

O desastre de Mariana foi a maior tragédia ambiental da história do Brasil, causada pela Samarco em 5 de novembro de 2015, quando uma barragem colapsou e liberou uma onda de rejeitos de mineração que deixou 19 mortos, centenas de desabrigados e atingiu florestas e rios.

A lama atingiu por toda a extensão do Rio Doce, de Minas Gerais até o Espírito Santo, e desaguou na sua foz no Oceano Atlântico.

* Com informações da Reuters.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe