Credit Suisse interpreta ações da Embraer como “abaixo da média”

Instituição reinicia cobertura dos papéis da fabricante de aeronaves, mas afasta retomada antes de 2012

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Credit Suisse reiniciou cobertura das ações da Embraer (EMBR3), rebaixando sua recomendação de neutra para underperform (abaixo da média).

A instituição ainda prevê uma retomada apenas no ano de 2012, assim como um volume de entregas ao longo de 2010 e 2011 por volta de 10% menor do que o de 2009. Ao que tudo indica, a recuperação será longa e os tempos difíceis para a fabricante nacional ainda não atingiram seu máximo.

Os ganhos por ação, por sua vez, estão estimados para recuperar o fôlego só em 2011. Sob a perspectiva do Credit, o guidance da Embraer é ambicioso: para que a margem operacional feche 2009 a 10%, o indicador teria que desempenhar altas de, em média, 12% para o resto do ano, haja vista o percentual pouco favorável visto no primeiro trimestre (2,4%).

Cenários

Aprenda a investir na bolsa

Dentre os cenários considerados pela instituição, dois merecem ênfase. O menos provável diz respeito a uma retomada sensível do financiamento ao setor, que inviabilizaria a proposta de que as entregas em 2010 serão mais fracas que em 2009. Os analistas, entretanto, pouco acreditam nessa possibilidade, tendo em vista os frágeis sinais de recuperação observados entre as fabricantes de avião no mundo todo.

O outro risco, mais consistente, refere-se à capacidade da companhia em atingir sua meta de margem operacional para o final deste exercício. Se o indicador chegar a 10%, como quer a Embraer, isso elevaria em muito os ganhos anuais.

No entanto, a entidade reitera sua expectativa de que as condições de desaquecimento econômico atuais, associadas à escassez de financiamento, devem ser responsáveis por impedir um recobramento dos ganhos por ADR antes de 2011.