Creci-SP: inadimplência com aluguel cresce novamente em maio na capital paulista

No quinto mês do ano, 5,95% das pessoas não estavam com o aluguel em dia, o que representa 10 p.b. a mais do que em abril

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Pesquisa divulgada nesta terça-feira (19) pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) mostra que 5,95% das pessoas estavam inadimplentes com o aluguel em maio, o que representa 10 pontos-base a mais do que em abril.

Além disso, o estudo constata que o número de imóveis devolvidos foi 6,57% maior no quinto mês do ano. Houve, igualmente, aumento no número de ações judiciais por falta de pagamento nos Fóruns da Capital: foram 2.001 processos – 15,53% a mais do que os 1.732 de abril.

Já as ações consignatórias, propostas quando há divergência entre inquilino e proprietário sobre valores, tiveram crescimento de 8,3%; as renovatórias dos contratos de locação aumentaram 21,21%; e as ordinárias, 57,52%.

Locações

O Creci-SP também constatou que o número de imóveis alugados caiu 0,3% entre abril e maio. Segundo o presidente da entidade, José Augusto Viana Neto, as quedas vêm ocorrendo por conta do aumento das vendas. “Quem pode, vai sempre optar por trocar o aluguel pela prestação do financiamento”, explica.

Ainda de acordo com o levantamento, que também analisa o resultado das vendas do mês, 59,02% dos imóveis alugados tinham valor mensal de até R$ 600.

Preços

Nas 451 imobiliárias pesquisadas foram verificadas 20 ocorrências de queda nos preços dos aluguéis e 22 de alta. No pior dos casos, as casas de dois dormitórios situadas na Zona C (Lapa, Moóca e Vila Mazzei) tiveram um aumento no preço do aluguel de 9%, de R$ 625,51 em abril para R$ 681,82 em maio.

Por outro lado, a maior baixa se deu entre as casas de quatro dormitórios localizadas na zona D (Água Rasa, Liberdade e Penha): o valor médio do aluguel caiu de R$ 1.080,00 para R$ 1.011,11, o que significa 6,83% de redução.

Compartilhe