Creci-SP: 61% dos imóveis da capital paulista foram pagos à vista em agosto

Além disso, a pesquisa aponta que mais de 55% das casas e apartamentos comercializados no período custavam até R$ 100 mil

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Levantamento divulgado nesta sexta-feira (21) pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) revela que, em agosto, 61% das vendas de imóveis usados na capital paulista foram feitas à vista.

A pesquisa ainda aponta que pouco mais de 55% das casas e apartamentos comercializados no período custavam até R$ 100 mil. Além disso, quase 57% dos imóveis vendidos no oitavo mês do ano eram apartamentos.

Queda nos preços

Entre julho e agosto, a maioria dos preços médios baixou. Entre as casas, o destaque ficou com as de padrão standard, entre 7 e 15 anos de construção e localizados na Zona E (Brasilâdia, Pedreira e Pirituba). No período, o valor médio do metro quadrado caiu 4,16%, de R$ 756,83 para R$ 725,33.

Já no setor de apartamentos, a maior queda ocorreu com os imóveis com até 7 anos de construção e situados na Zona D (Limão, Penha e Imirim). A redução no preço, de 6,20%, fez com que o valor do metro quadrado passasse de R$ 1.195,97 em julho para R$ 1.121,83 no mês passado.

Vendas 4,71% maiores

Ainda de acordo com o Creci-SP, as vendas de imóveis usados na cidade de São Paulo cresceram 4,71% entre o sétimo e o oitavo mês do ano. Com isso, o índice de vendas passou de 0,4841 para 0,5069 no período.

“Certamente o mercado foi beneficiado em agosto pelo efeito volta das férias e a expectativa é que tenhamos resultados positivos nos quatro meses que faltam para fecharmos o ano”, afirmou o presidente de entidade, José Augusto Viana Neto.

Viana Neto amparou seu prognóstico na chegada do décimo terceiro salário, no pagamento de bonificações por resultados e participação nos lucros e na melhoria das condições de crédito e financiamento.

Compartilhe