Consumidor não sente no bolso queda no preço do frango

Quedas de preço verificadas nos últimos dois meses são limitadas ao produtor e quase não chegam ao varejo

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – As quedas nos preços do frango ao produtor nem sempre significam uma redução do valor pago pelo consumidor.

De acordo com análise do AviSite, portal de avicultura, considerando a evolução mensal dos preços da ave, entre janeiro de 2006 e março de 2007, pode-se observar uma redução proporcional nos valores praticados no atacado e no varejo, o que significa que altas e baixas foram repassadas ao consumidor final. No entanto, numa análise semanal, não é possível perceber o repasse.

Preços

O efeito desse comportamento pode ser constatado na relação de preços entre o frango abatido e vivo. Na segunda quinzena de fevereiro, por exemplo, o frango apresentava um custo 46% maior para o consumidor em relação ao valor recebido pelo granjeiro pela ave viva.

Já na semana passada, apesar de o frango vivo registrar perda de 10 centavos no seu preço e ser comercializado a R$ 1,10/quilo, o frango abatido era encontrado no varejo (conforme o Procon-SP) por R$ 2,67/quilo, valor 0,38% superior ao registrado há duas semanas, de R$ 2,68/quilo.

A diferença de preços é de quase 143% do frango vivo para o abatido, praticamente 100 pontos percentuais a mais que em fevereiro passado. Isso significa, segundo a Avisite, que, atualmente, as diferenças são muitos grandes, “com prejuízo do produtor, mas sem nenhum benefício do consumidor”.

Compartilhe