Investimentos

Conheça o MMXM11, título híbrido da mineradora de Eike Batista

Papel da empresa sobe forte após controlador garantir capitalização de R$ 1,36 bilhão na MMX

Igarape, 04 de novembro de 2011Imagens das minas de minerio de ferro Tico Tico e Ipe, da empresa MMX, no complexo Serra Azul.Foto: Bruno Magalhaes / Nitro

SÃO PAULO – Nesta terça-feira (3) as ações da MMX (MMXM3) ganham destaque pela forte alta após Eike Batista garantir a capitalização de R$ 1,36 bilhão da empresa. Mas poucos sabem que a mineradora possui outro papel negociado em bolsa, o MMXM11. Esses títulos disparam 4,94% nesta sessão, aos R$ 3,40, conforme cotação das 16h12 (horário de Brasília). Na máxima do dia, a alta chegou a 8,95%, a R$ 3,53.

O volume negociado costuma ser baixo, de R$ 3,5 milhões, conforme média dos últimos 21 dias. Entretanto, nesta segunda-feira, com 473 negócios, o ativo já movimenta R$ 31,9 milhões. O valor está bem próximo do maior giro financeiro de MMXM11 em um pregão, que foi no dia 2 de fevereiro deste ano, quando movimentou R$ 33,0 milhões.

Conheça o MMXM11
Essa classe de ativos constitui um papel híbrido, isso é, ele não apenas é negociado na bolsa como tem uma remuneração trimestral. A emissão deles foi aprovada pelo conselho de administração em dezembro de 2010 como meio de pagamento pela OPA (Oferta Pública de Aquisição) das ações da PortX. Elas só começaram a ser negociadas em maio de 2011, quando a incorporação da empresa de portos chegou ao fim.

Segundo mostra o edital da OPA, ficou estabelecido que esses papéis terão o pagamento de royalties trimestrais caso haja lucro bruto suficiente na LLX Sudeste. Isso é válido somente a partir da entrada em operação do porto LLX Sudeste ou a partir de primeiro de janeiro de 2013, o que acontecer primeiro.

Esses royalties utilizam como cálculo o pagamento de US$ 5,00 por tonelada embarcada, ajustado anualmente pelo PPI (Índice de Preços ao Produtos dos EUA).

Superporto: até 100 milhões de toneladas
A entrada em operação do Porto Sudeste está programada para o último trimestre do próximo ano, mas a equipe da XP Investimentos ressalta em relatório que a capitalização de R$ 1,4 bilhão na MMX garante que a empresa terá as condições para executar seus projetos.

O Superporto Sudeste está localizado na Ilha da Madeira, no município de Itaguaí, Rio de Janeiro. O porto será responsável por embarcar o minério de ferro produzido na Unidade de Serra Azul, que está em fase de expansão.

Segundo a própria MMX, em uma primeira fase o porto terá capacidade para movimentar 50 milhões de toneladas anuais de minério de ferro. Na segunda fase, essa capacidade pode aumentar para 100 milhões de toneladas anuais.