Conheça mais sobre a CAB Ambiental, empresa do setor de saneamento básico

Companhia registrou prejuízos anuais desde 2007, mas pretende se tornar a líder do setor através de meta agressiva de crescimento

Por  Equipe InfoMoney

SÃO PAULO – A CAB Ambiental – Companhia de Águas do Brasil – está em processo de IPO (Initial Public Offering) e se orgulha por ser uma das maiores empresas privadas do Brasil a prestar serviços públicos de água e esgoto, em termos de quantidade de pessoas atendidas direta e indiretamente, segundo dados de 2009 da ABCON (Associação Brasileira das Concessionárias).

Vale lembrar que as ações serão negociadas no segmento especial da BM&F Bovespa voltado a empresas que desejam acessar o mercado de forma gradual e através de ofertas de menor porte – conhecido como BovespaMais.

As atividades da companhia constituem na captação de água bruta, tratamento, adução, reservação e distribuição de água potável, conforme consta em prospecto preliminar, além de coleta e tratamento de esgoto, devolução ao meio ambiente dos resíduos líquidos tratados e destinação dos resíduos sólidos. Por fim, a CAB Ambiental também realiza a gestão comercial, o que inclui o faturamento, arrecadação, cobrança e atendimento ao usuário.

Contratos
Fundada em 2006, a companhia possui 13 contratos, sendo 11 concessões e duas parcerias público privadas. Deste total, sete são localizados no Estado de São Paulo, cinco em Mato Grosso e um no Paraná.

Além disso, a companhia venceu sete de 10 licitações às quais concorreu, “o que demonstra nossa capacidade de atender satisfatoriamente às exigências dos editais e nossa experiência em processos licitatórios”, comunicou a empresa em seu prospecto preliminar.

Ademais, os contratos de concessões ou parcerias público privadas possuem, em grande parte, vigência de 30 anos, com investimento intensivo nos cinco primeiros anos. Deste modo, após esse período a maioria dos investimentos já são realizados e a rentabilidade apresenta uma melhora, justifica a empresa, a qual destaca que a totalidade da receita líquida nos nove primeiros meses de 2010 foi proveniente de contratos de concessão e de parcerias com vigência não menor a 13 anos, incluindo com a Sabesp.

Por fim, o modelo de gestão é matricial e descentralizado, escreve a CAB Ambiental em prospecto. “Esse modelo nos possibilita estabelecer, implementar e supervisionar nossas diretrizes administrativas e operacionais em nossas controladas, (…) viabiliza, também, a redução de nossos custos administrativos e operacionais, a mitigação de riscos e, consequentemente, a maximização dos nossos resultados”, justifica.

Números
Quanto aos resultados, desde 2007 a companhia registra prejuízos. Em 2009 as perdas foram de R$ 16,38 milhões, número que caiu para R$ 15,93 milhões em 2010, ao passo que o Ebitda (geração operacional de caixa) foi de R$ 3,7 milhões e de R$ 7,3 milhões, respectivamente.

Vale lembrar que a companhia possui um capital social de R$ 158,33 milhões, representado por igual número de ações. Este valor poderá ser elevado até o limite de R$ 500 milhões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Setor em expansão
Analisando o setor de saneamento, a empresa observa grande potencial de expansão. “(…) Acreditamos que a recente regulamentação para o setor de saneamento básico, a atual falta de capacidade financeira e operacional da maioria das empresas públicas estaduais e municipais para suprir as elevadas demandas de investimento no setor, aliados à necessidade de investimentos relevantes no setor geram uma grande oportunidade para o aumento da participação do setor privado nesta área”, destaca a companhia.

Segundo dados de 2008 do ministério das Cidades, mais de 40 milhões de pessoas ainda não tem acesso adequado à água potável e mais de 100 milhões de brasileiros não possuem os esgotos tratados. Assim, estimativas apontam que o setor necessita de investimentos na ordem de R$ 270 bilhões. Ademais, a ABCON estima que 30% da população urbana do Brasil será atendida pela iniciativa privada até 2017, ante os atuais 10%.

Deste modo, a CAB Ambiental acredita possuir algumas vantagens competitivas no setor, tais como a solidez financeira do controlador, o Grupo Galvão, o qual poderá facilitar o acesso a linhas de créditos e financiamentos. O grupo possui atividades em diversas áreas – como engenharia, construção, saneamento, geração de energia e petróleo e gás – e conta com mais de sete mil colaboradores diretos, além de ter reportado uma receita líquida de R$ 2,1 bilhões em 2009.

Além disso, os contratos possuem vencimentos a partir de 2024 – a maioria em fase intermediária de investimento intensivo -, sendo que oito dos 13 foram firmados sob a nova regulamentação do setor, o que proporciona mais segurança jurídica, uma vez que compartilha os riscos entre o setor público e o privado.

Programas de educação e conscientização socioambiental também são apontados como vantagens, já que reduzem os custos operacionais – a empresa promove 34 ações nas comunidades de atuação. “Além disso, somos uma das únicas empresas privadas do Brasil com foco na prestação de serviços públicos de água e esgoto, o que nos torna mais especializados e com um conhecimento técnico diferenciado para o desenvolvimento de nossas atividades”, ressalta.

Crescimento acelerado
Assim, a CAB Ambiental pretende ser líder do setor no Brasil, através de uma estratégia de crescimento acelerado e de consolidação do setor por meio de novos contratos de concessão e parceria público privada, bem como por novas aquisições. Também faz parte da estratégia da companhia pulverizar ainda mais e diversificação dos contratos, de modo a reduzir eventuais dependências.

Compartilhe