Confira a agenda da semana

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

A agenda econômica desta quarta-semana de dezembro será agitada, mesmo com a proximidade do final do ano, com destaque para o pacote de ajuda à Argentina na segunda-feira e a reunião do FED no dia seguinte.

O principal evento da segunda-feira foi o anúncio do pacote de ajuda à Argentina, chegando a US$ 39,7 bilhões, valor que surpreendeu o mercado. A ajuda será liderada pelo FMI, com participação do Banco Mundial, BID, governo espanhol, bancos locais e fundos de pensão. Ainda na Argentina, foi divulgado o índice de produção industrial referente a novembro, que apresentou queda de 0,8% em novembro na comparação com o mês anterior, excluindo-se os efeitos sazonais. No Brasil, foi divulgada a balança comercial brasileira referente à semana anterior, com déficit de US$ 204 milhões. O banco Central brasileiro divulgou os informes sobre o Setor Externo e a Política Monetária, referentes ao mês de novembro.

Na terça-feira, o FED decidiu manter a taxa básica de juros em 6,50%, como já era esperado por boa parte dos analistas. As próximas reuniões ocorrem em 30 de janeiro e 20 de março, quando as taxas podem cair. Foi divulgado também o déficit comercial norte-americano, que foi de US$ 33,2 bilhões em outubro, levemente abaixo do consenso de mercado. No Brasil, começa a reunião do Copom, que termina na quarta-feira. Foi divulgada também a segunda prévia do IGP-M, com alta de 0,35% após variação de 0,21% na primeira prévia. Já na Europa, a inflação na zona do euro atingiu 2,9% em novembro, em bases anuais. O governo mexicano, por sua vez, divulga a taxa de desemprego no país, que no mês de outubro atingiu 2,0%.

Na quarta-feira, as atenções no mercado interno se voltam para o segundo dia de reunião do Copom, quando será divulgada a taxa básica de juros, a Selic. O mercado espera uma redução de 0,5% na taxa, embora a decisão não seja consenso entre os investidores. A Fipe divulga o IPC Quadrissemanal referente à 2a. semana do mês, enquanto a Comissão de Moeda e crédito se reúne às 11h30. Nos EUA, serão divulgados os índices Housing Starts (1,540 milhão é o esperado), que mede as casas que começaram a ser construídas, e Building Permits (1,540 milhão), que reflete as licenças para construção de residências, ambos referentes a novembro. Um pouco mais tarde, o Departamento de Energia dos EUA divulga os estoques de petróleo e gás referentes à semana passada; o total chegou a 288,7 milhões de barris na semana anterior. É divulgado também o resultado fiscal do governo norte-americano.

Na quinta-feira, o Dieese divulga a taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo. Em outubro, o índice foi de 16,30%. O Conselho Monetário Nacional se reúne às 11h00; e a FGV divulga o IGP-10 de dezembro no final do dia, após uma variação positiva de 0,35% no mês anterior. Nos EUA, será divulgado o número de pedidos de auxílio-desemprego na terceira semana de dezembro (340 mil é o esperado), e o índice de atividade industrial do Federal Reserve Bank da Filadélfia (-5,0%). Por fim, o México mostra o índice de preços ao consumidor de novembro.

No último dia da semana, o IBGE apresenta o IPCA-15 de dezembro. Nos EUA serão divulgados o índice de encomendas industriais (0,7% é o aguardado pelo mercado) e os índices de renda pessoal (0,4%) e consumo pessoal (0,3%), todos referentes a novembro. O Instituto de Estatísticas da Europa, por sua vez, divulga o índice de produção industrial na zona do euro.

Compartilhe