Confira a agenda da semana

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

A agenda econômica desta terceira semana de dezembro será agitada, com investidores atentos sobretudo aos números da economia norte-americana. Na segunda-feira, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulga os resultados da balança comercial na semana passada; na primeira semana de dezembro, com um dia útil, a balança comercial registrou superávit de US$ 77 milhões. A FGV divulga a primeira prévia do IGP-M, referente ao período de 21 de novembro a 30 de novembro, sendo que o índice de novembro apresentou variação positiva de 0,29%. Nos EUA, sai hoje o índice Wholesale Inventories, que mede as variações dos estoques no setor atacadista; o índice esperado é de 0,6%.

Na terça-feira, os destaques são os índices de inflação nacionais referentes a novembro: IPC / Fipe (0,10% é o esperado pelo mercado), IPCA / IBGE (0,40%), INPC / IBGE (0,38%) e IGP-DI / FGV (0,50%). O Eurostat, instituto oficial de estatísticas da União Européia, apresenta também os números do PIB regional no terceiro trimestre.

Na quarta-feira o Banco Central realiza sua reunião semanal. Nos EUA, será divulgado o índice, referente a novembro, de vendas no varejo (0,3% é o esperado). O Departamento de Energia do país mostra as reservas de petróleo e gás na semana passada, sendo que no período anterior o total ficou em 292,1 milhões de barris. Já no Reino Unido será divulgada a taxa de desemprego em novembro, que atingiu 3,6% da população em outubro.

Na quinta-feira, os destaques ficam no cenário externo. Serão divulgados dois importantes indicadores de inflação nos EUA, o PPI (0,1% é o esperado) e o Core PPI (0,1%), que exclui os preços de alimentos e energia. Os índices, que medem a variação de preços no atacado, são referentes a novembro. O Initial Claims referente à segunda semana de dezembro, índice que mede o número de pedidos de auxílio-desemprego no EUA, também será divulgado no dia. Na Europa, o destaque fica por conta da reunião do Banco Central Europeu, que decidirá sobre a taxa de juros na zona do euro, atualmente em 4,75%. Já na Argentina será divulgada a taxa de desemprego de outubro; no mês anterior o índice chegou a 15,4%, refletindo as dificuldades pelas quais o país está passando.

Na sexta-feira as atenções se voltam exclusivamente aos EUA, onde serão divulgados o CPI (0,2% é o esperado) e o Core CPI (0,2%) de novembro, índices que medem a variação nos preços ao consumidor. Os resultados podem dar ao mercado uma visão mais clara do desaquecimento na economia norte-americana. No mesmo dia o mercado conhecerá os índices de produção industrial (0,2%) e utilização da capacidade (81,9%), referentes também ao mês passado.

Compartilhe