After-market

Compra internacional da JBS, dividendos da Weg e lucro da Ecorodovias; confira os destaques do pós-fechamento

After-market desta terça-feira foi agitado; leia as principais informações do noticiário corporativo

JBS
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Após o fechamento do pregão desta terça-feira (18) o noticiário corporativo continuou quente no Brasil. Entre os principais destaques estão o lucro da Ecorodovias (ECOR3), as aquisições de ativos da JBS (JBSS3) no exterior e os dividendos da Weg (WEGE3).

Confira os principais destaques do after-market desta terça-feira

JBS (JBSS3)

O frigorífico anunciou que adquiriu unidades produtivas de “case ready” – carnes que já são embaladas antes de serem enviadas aos supermercados – e a marca Ledbetter da Empire Parcking por US$ 238 milhões em acordo. “O anúncio de hoje reforça nosso contínuo compromisso em diversificar nossa oferta de produtos”, afirmou André Nogueira, presidente da operação da JBS nos Estados Unidos.

Weg (WEGE3)

PUBLICIDADE

Já a Weg divulgou a distribuição de um total de R$ 351,9 milhões em dividendos complementares, o que corresponde a R$ 0,167761411 por ação. A “data-com” para o recebimento do benefício é o dia 25 de fevereiro, de modo que o investidor que quiser receber os proventos deve ter ações da companhia em carteira no fechamento do pregão do dia 25. A partir do dia 26 os papéis serão negociados “ex-dividendos”, ou seja, sem direito aos proventos. O pagamento ocorrerá em 11 de março.

Ecorodovias (ECOR3)

A empresa de logística teve um lucro líquido de R$ 79,2 milhões no quarto trimestre de 2019, um aumento de 40% em relação ao resultado do mesmo período do ano passado. Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 528,7 milhões, o que representa um crescimento de 48,8% na base anual de comparação. A Ecorodovias ainda divulgou um Investimento em Bens de Capital (Capex, na sigla em inglês) de R$ 2,08 bilhões.

Engie (EGIE3)

A geradora de energia elétrica Engie registrou um lucro líquido de R$ 617,5 milhões, abaixo da expectativa mediana dos analistas compilada no consenso Bloomberg, que previa um lucro de R$ 678,2 milhões. O número também representa uma queda de 18,9% sobre o resultado do quarto trimestre de 2018, quando a companhia lucrou R$ 761,6 milhões. O Ebitda da companhia foi de R$ 1,32 bilhão e a receita líquida atingiu R$ 9,8 bilhões no quarto trimestre do ano passado.

Iguatemi (IGTA3)

No setor de administradores de shopping centers, a Iguatemi teve um lucro líquido de R$ 111,8 milhões no quarto trimestre, o que corresponde a um crescimento de 47% sobre o mesmo período do ano anterior. O Ebitda, por sua vez, foi de R$ 200,2 milhões no período, um aumento de 25,9%. A Receita Líquida foi de R$ 211,2 milhões.

Minerva (BEEF3)

O frigorífico anunciou que submeterá a votação na Assembleia Geral Extraordinária do dia 20 de março a redução do capital social da companhia em R$ 380,2 milhões para absorver os prejuízos acumulados ao longo do ano de 2019.

Cemig (CMIG4)

A Cemig previu em seu Capex investimentos de R$ 10,4 bilhões entre 2020 e 2024. Só em 2020 esses aportes seriam da ordem de R$ 2,01 bilhões segundo comunicado enviado ao mercado nesta terça.

PUBLICIDADE

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!