Composição da gasolina não precisa mudar devido à alta no preço do álcool, diz Unica

De acordo com a União, não há necessidade de alteração da mistura de 25% do etanol anidro à gasolina

SÃO PAULO – A Unica (União da Indústria da Cana-de-Açúcar) declarou nesta terça-feira (24) que não há necessidade de mudança no nível de álcool anidro misturado à gasolina, frente ao aumento de preços do álcool hidratado.

“A Unica entende que a produção de etanol anidro continua em patamares suficientes para garantir o nível de mistura de 25% na gasolina, não havendo qualquer necessidade de alteração no nível da mistura”, afirma em nota à imprensa.

Do total da cana processada na primeira quinzena de novembro, 56,55% foram destinados à produção de etanol, com um volume produzido de 1,217 bilhão de litros, sendo 440 milhões de etanol anidro e 777 milhões de hidratado.

Preços em alta

PUBLICIDADE

A discussão sobre redução do nível de álcool anidro na gasolina começou pelo aumento do preço do álcool hidratado (combustível), cuja produção foi afetada pelas chuvas, que prejudicaram a moagem da cana-de-açúcar.

Mas, de acordo com a Unica, a elevação dos preços do etanol hidratado é sazonal, o que significa que não é preciso mudar a composição da gasolina, para fazer frente a este problema. “O próprio mercado já vem reagindo à situação, ajustando a demanda pelo etanol hidratado”, diz a Unica na nota.

É recomendado ao consumidor que tem veículo flex utilizar o álcool sempre que a relação de seu preço em comparação ao da gasolina seja inferior a 70%.