Mineração

Com melhores perspectivas para setor, ações de mineradoras registram alta

Além de mineradoras, papéis da Usiminas também registram alta; de acordo com analista, não há nenhuma notícia específica, mas cenário e especificidade dos papéis levam a alta

SÃO PAULO – No pregão desta terça-feira (11), as ações dos setores de mineração e de siderurgia vêm registrando forte alta, sustentando a valorização do Ibovespa. O índice registrava alta de 0,74%, às 14h54 (horário de Brasília), enquanto o IMAT, que acompanha as ações do setor de materiais básicos, tinha ganhos de 1,09% no mesmo horário. O bom humor lá fora, que impulsiona as ações de empresas voltadas ao setor externo, e as melhores perspectivas do setor são fatores que levam a alta dos papéis das companhias. 

No mesmo horário, as ações da MMX Mineração (MMXM3) se destacavam na ponta positiva, com ganhos de 3,77%, aos R$ 4,11, seguidas de perto pela CSN (CSNA3), com alta de 2,84%, cotadas aos R$ 11,58.  Os papéis da Bradespar (BRAP4), que possuem uma grande participação em Vale (VALE3;VALE5), por sua vez, subiam 2,07%, aos R$ 30,55. Mais atrás, estão as ações ON e PN da Vale e os ativos PN classe A da Usiminas (USIM5), com ganhos de, respectivamente, 1,91%1,71% e 1,61%

Setor aponta melhores expectativas 
De acordo com o analista da Ágora Corretora, Aloisio Lemos, não há nenhuma notícia sobre o setor que justifique as altas dos papéis dos dois setores. Esta alta, afirma, está relacionada à melhora das perspectivas para eles no longo prazo, além de características específicas de cada papel.

Com relação ao cenário, as expectativas do mercado é de que as empresas de mineração apresentem melhores resultados nos próximos trimestres, em meio à recuperação do preço médio de minério de ferro, afirma Lemos. Após um grande período em queda e de forte volatilidade, o minério está cotado a um preço em cerca de R$ 120,00. 

Para a MMX, o analista avalia que a ação vem passando por um período de recuperação de perdas, após fortes quedas observadas no ano. No acumulado de 2012, os papéis MMX registravam queda de 38,21% enquanto, somente no mês de dezembro, a alta é de 17,08%, também relacionada à subscrição dos papéis da companhia. Lemos ressalta que os papéis da companhia registram forte volatilidade, além de serem fortemente correlacionadas às notícias do grupo EBX.

Já a CSN, avalia Lemos, é um caso interessante, ainda mais se levar em conta o seu desempenho com os papéis da Usiminas. O analista ressalta que os papéis da companhia apresentaram forte queda no ano, mostrando-se bastante descolada da outra siderúrgica. Entretanto, apenas neste mês, as ações CSNA3 registram alta de 10,39%, enquanto os papéis USIM5 têm alta de apenas 1,36%. “Esta alta mais expressiva da CSN indica um reposicionamento dos investidores em relação ao setor”, avalia o analista.