Revolução energética

Com expansão de US$ 3,7 tri da energia solar até 2040, fontes renováveis superarão combustíveis fósseis

Com energias renováveis mais baratas os países em desenvolvimento poderão recorrer a fontes menos poluentes

Aprenda a investir na bolsa

(SÃO PAULO) – As energias renováveis atrairão quase dois terços dos investimentos em novas usinas de energia nos próximos 25 anos, superando as contribuições feitas em combustíveis fósseis, em um momento em que a queda dos custos está transformando a energia solar na primeira alternativa dos consumidores e dos países mais pobres.

A energia solar receberá US$ 3,7 trilhões em investimentos até 2040, com um total de US$ 8 trilhões direcionado às energias limpas. Isso representa quase o dobro dos US$ 4,1 trilhões que serão investidos em usinas de carvão, gás natural e nucleares, segundo uma projeção da Bloomberg New Energy Finance.

Os números mostram que o domínio tradicional das fornecedoras de carvão e de gás natural cairá nos próximos anos e que com energias renováveis mais baratas os países em desenvolvimento poderão recorrer a fontes menos poluentes para atender as necessidades cada vez maiores de energia. A projeção da New Energy Finance também indica que o carvão continuará sendo um combustível importante, o que sugere que os formuladores de políticas precisam adotar mais medidas para controlar a emissão dos gases que provocam o efeito estufa.

Aprenda a investir na bolsa

“Nós veremos um progresso tremendo em direção a um sistema energético descarbonizado”, disse Michael Liebreich, fundador da New Energy Finance, nesta terça-feira, em um comunicado com o qual o grupo de pesquisa divulgou suas descobertas, em Londres. Apesar disso, as emissões continuarão subindo “por mais uma década e meia, a menos que seja adotada uma medida política radical”.

Aumento das emissões

As emissões de gases de efeito estufa aumentarão até 2029. É quase uma década além da data que a Agência Internacional de Energia estabeleceu como meta para limitar o aumento global das temperaturas a 2 graus Celsius até 2100.

Os países em desenvolvimento responderão por 79 por cento dos 8,9 terawatts de capacidade adicional de energia em todo o mundo, segundo a New Energy Finance, e a energia solar coletará os maiores ganhos.

A maioria dos projetos solares destas regiões serão usinas elétricas de grande escala, com cerca de 1,5 terawatt instalado até 2040, contra cerca de 800 gigawatts dos sistemas de pequena escala e de painéis.

Esse padrão será revertido nos países desenvolvidos, com 271 gigawatts de grandes parques solares, contra quase 900 gigawatts de sistemas menores de energia, segundo a New Energy Finance.

PUBLICIDADE

Em todo o mundo, as usinas solares com painéis e pequena escala se multiplicarão quase 17 vezes em relação aos 104 gigawatts do ano passado, para aproximadamente 1,8 terawatt em 2040.

Com a expectativa de queda de 47 por cento nos preços dos painéis solares, o setor irá prosperar devido à economia básica e não por causa dos subsídios do governo, disse Jenny Chase, analista-chefe de energias solares da New Energy Finance.

‘Energia solar é barata’

Como a luz do sol é grátis, a vantagem do custo em relação aos combustíveis fósseis continuará aumentando. “A energia solar é barata e só irá ficar mais barata”, disse ela em uma entrevista.

O carvão atrairá US$ 1,6 trilhão em investimentos, o gás receberá US$ 1,2 trilhão e a energia nuclear terá US$ 1,3 trilhão em investimentos ao longo dos próximos 25 anos. Os desenvolvedores investirão US$ 2,4 trilhões em parques eólicos.

“Até agora, os investimentos solares de pequena escala foram dominados por países ricos, como Alemanha, EUA e Japão”, disse Chase. “Até 2040, as economias em desenvolvimento terão investido US$ 1 trilhão em pequenos sistemas fotovoltaicos, em muitos casos levando eletricidade pela primeira vez a cidadezinhas remotas”.