RADAR INFOMONEY Por que a Bolsa sobe e o PIB cai? O Ibovespa segura os 120 mil pontos, diante do caos na economia?

Por que a Bolsa sobe e o PIB cai? O Ibovespa segura os 120 mil pontos, diante do caos na economia?

Destaques de ações

Com balanços fracos, Gerdau e Usiminas chegam a cair 4% e lideram perdas

CSN também segue no campo negativo; analistas apontam menores resultados operacionais e alto endividamento com responsáveis pelo fracos números no trimestre

SÃO PAULO – As ações de companhias ligadas ao setor de siderurgia lideram as quedas no Ibovespa no pregão desta quinta-feira (1), respondendo à divulgação de balanços fracos referentes ao terceiro trimestre de 2012.

Às 11h00 (horário de Brasília) as ações da Gerdau (GGBR4) registravam queda de 2,99%, sendo cotadas a R$ 17,22, ocupando a segunda colocação entre as perdas pelo principal benchmark da bolsa brasileira. As ações da companhia ficam atrás apenas para a sua holding Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 22,02, -3,25%). Contudo, no início do pregão, os papeis GGBR4 chegaram a recuar 3,94%, cotadas a R$ 17,05, enquanto os ativos GOAU4 caíram até 4%, a R$ 21,85. 

Em seguida aparecem as ações da Usiminas (USIM3, R$ 10,40, -2,04%; USIM5, R$ 9,62, -1,94), que dão sequência ao ranking negativo no pregão. As ações também tiveram quedas mais acentuadas no início do pregão, atingindo desvalorizações de 4,90% (R$ 10,10) e 3,98%, (R$ 9,40%), respectivamente. As ações da CSN (CSNA3, R$ 11,18, -0,45%) também operam no campo negativo e chegaram a queda de mais de 2% nos primeiros instantes de negociações. Enquanto isso, o Ibovespa registra ganhos de 0,06%.

Ações respondem aos balanços trimestrais
A Gerdau revelou um lucro líquido no terceiro trimestre de 2012 de R$ 408 milhões, queda de 43% em relação ao mesmo período do ano passado. Para a equipe de análise de XP Investimentos, operacionalmente os números da empresa ficaram aquém do esperado por conta da pressão de custos. Além disso, a principal surpresa negativa foi a desistência da empresa em encontrar parceiro para seu braço de mineração.

“Apesar do indicativo de volumes significativamente superiores ao inicialmente estimado, estes representam um valor não em uso e requerem um montante significativo de investimentos, o que poderá retardar o início da geração de caixa para tal projeto”, explicam os analistas em relatório.

Já a CSN conseguiu reverter as perdas e registrou um lucro líquido de R$ 159 milhões no terceiro trimestre deste ano. Entretanto, na comparação com o mesmo período de 2011, o lucro líquido recuou 85,11%.

A Usiminas, por sua vez,apresentou prejuízo líquido de R$ 124,9 milhões no terceiro trimestre, revertendo lucro de R$ 154 milhões do mesmo período do ano passado.

Para os analistas da XP, os fracos volumes e a queda no preço do minério pesaram forte nos resultados. Para os analistas, chama a atenção ainda a sua elevada dívida líquida de R$ 4,1 bilhão frente a um Ebitda de R$ 844 milhões nos últimos 12 meses. 

Em relação aos números da CSN, os analistas classificam o resultado como “marginalmente negativo essencialmente pelo fraco resultado na última linha”. Segundo eles, operacionalmente o segmento de siderurgia apresentou melhora importante com incremento de volumes e margem Ebitda, mas o aumento de seu endividamento pesou e afetou os resultados.

PUBLICIDADE