Projeções

Com alta da inflação, Itaú vê um cenário de menor depreciação para o real

Para os analistas do banco, ano ficou marcado por uma balança comercial fraca, um baixo lucro e remessas de dividendos e investimentos diretos abundantes

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Nesta manhã a inflação medida pelo IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15) mostrou aumento de 0,69% e ficou acima das projeções do mercado. Esse cenário de inflação mais alta deve evitar uma valorização mais agressiva dólar frente ao real, acredita o Itaú BBA.

Na terça-feira (18) o Banco Central definiu que o limite para constituição de posição vendida em câmbio para os bancos sem a incidência do recolhimento compulsório de 60% passe de US$ 1 bilhão para US$ 3 bilhões por instituição. A decisão ajuda a evitar a depreciação da taxa de câmbio, que poderia aumentar o risco de inflação no País. Essa é a terceira medida nesse sentido por parte do governo só em dezembro.

Para os analistas do Itaú, o ano ficou marcado por uma balança comercial fraca, um baixo lucro e remessas de dividendos e investimentos diretos abundantes. O déficit da conta corrente nacional, atingiu US$ 6,3 bilhões em novembro, ficando acima da média dos últimos meses, devido principalmente à uma balança comercial negativa no mesmo mês. Enquanto isso, o investimento estrangeiro no País chegou a US$ 4,6 bilhões, acima das expectativas.

Para o banco o setor industrial tem tido ótimas notícias. Dados da FGV (Fundação Getulio Vargas) mostrartam um aumento na confiança no setor, com crescimento de 1,4% de novembro para dezembro, atingindo o maior valor desde junho de 2011. Para os analistas isso é importante, mostrando uma recuparação gradual para a indústria, que pode significar novos investimentos.

Após a notíicia, divulgada pelo Jornal Valor Econômico, de que a presidente Dilma Rousseff irá autorizar um rajuste para os combustíveis, o banco estima que essas mudanças devem ocorrer no início de 2013, neutralizando a queda das tarifas de energia. O Itaú ainda projetou aumento na casa de 8% para os preços da gasolina e do diesel em fevereiro.