Coinvalores inicia cobertura de Providência de olho na expansão de receitas

Corretora está muito otimista com o crescimento da economia brasileira e aumento do consumo dos produtos da companhia

Por  Graziele Oliveira

SÃO PAULO – A Coinvalores iniciou a cobertura da Providência (PRVI3), empresa do setor de fabricação e comercialização de não tecidos, apostando no bom momento da economia brasileira, que deve impulsionar o aumento das vendas da companhia.

“Mesmo a empresa estando classificada no setor Petroquímico, acreditamos que os principais fatores impulsionadores de demanda vêm do consumo das famílias”, explica os analistas Marco Saravalle e Bruno Piagentini.

Os analistas se dizem muito otimista em relação a economia brasileira, com taxa de desemprego cadente e expressiva abertura de postos de trabalho formal, além de crescimento esperado do PIB (Produto Interno Bruto) acima de média da economia mundial.

“Ou seja, todo o cenário macroeconômico local sustenta nosso otimismo e nossa projeção de expansão das receitas da Providência nos próximos anos. Neste sentido, trabalhamos com a recomposição das margens em direção às médias históricas da companhia, impulsionada pelo aumento das vendas, melhor utilização da capacidade instalada e adequação dos preços”, apontam Saravalle e Piagentini.

Riscos?
Segundo a Coinvalores, os principais riscos da companhia ficam por conta da volatilidade dos preços de insumos e possibilidade das perspectivas econômicas não se concretizarem.

“Mesmo que o nível de endividamento da Providência pareça superior em relação à média das companhias acompanhadas, está bastante adequado a sua estrutura de ativos, não trazendo preocupação adicional para a programação de investimentos e expansão operacional”, diz a corretora.

Outro fator destacado é a política de dividendos que, informalmente, tem distribuído 50% do lucro líquido ajustado, com isso, o retorno através de dividendos (dividend Yield) também mereceu destaque na recomendação.

Recomendação
“Iniciamos nossa cobertura para as ações da Providência com recomendação de compra para investidores que vislumbrem bons retornos a médio e longo prazos”, conclui a Coinvalores que colocou preço-alvo de R$ 8,50, o que implica em um upside de 51,78% em relação ao fechamento da véspera.

Compartilhe