Reação à austeridade

Cinco radicais do Syriza dizem preferir dracma à austeridade

"O governo pode e deve, mesmo nessa hora, responder à chantagem das instituições com o dilema: ou um programa sem nova austeridade, com financiamento e redução da dívida, ou uma saída da zona do euro e suspensão dos pagamentos da dívida injusta e inviável", disseram os cinco membros do partido em comunicado

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

ATENAS (Reuters) – Cinco membros radicais do partido governista da Grécia, o Syriza, afirmaram nesta sexta-feira que é preferível sair da zona do euro e voltar ao dracma do que um acordo com credores internacionais com medidas de austeridade e sem qualquer alívio da dívida.

“O governo pode e deve, mesmo nessa hora, responder à chantagem das instituições com o dilema: ou um programa sem nova austeridade, com financiamento e redução da dívida, ou uma saída da zona do euro e suspensão dos pagamentos da dívida injusta e inviável”, disseram os cinco membros do partido em comunicado.

Três deles são parlamentares e dois são integrantes do comitê político do Syriza.

Aprenda a investir na bolsa

O governo grego está buscando o apoio do Parlamento para um plano de reformas fiscais e tributária, com ajuda por parte dos credores de 53,5 bilhões de euros para manter o país vivo.

O Syriza tem 149 assentos no Legislativo grego, formado por 300 assentos.