Cidades asiáticas lideram lista das 10 mais caras para estrangeiro alugar imóvel

No total, elas são seis no top 10 do ranking que mede localidades mais caras para estrangeiros alugar um imóvel

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Cidades asiáticas lideram a lista das 10 mais caras para um estrangeiro alugar um imóvel, apesar de ser uma europeia a que está no topo do ranking, de acordo com pesquisa realizada pela Mercer e divulgada nesta quinta-feira (2).

Moscou (Rússia) ocupa o primeiro lugar e está seguida de Tóquio (Japão), Hong Kong (Hong Kong), Mumbai (Índia), Nova York (EUA), Pequim (China), Genebra (Suíça), Nova Déli (Índia), Londres (Inglaterra) e Cingapura (Cingapura).

As mesmas cidades ocupavam a lista das 10 mais caras em apuração realizada no ano passado, mas as asiáticas subiram posições por terem moeda atrelada ao dólar, que se valorizou com a crise, ou por terem aluguéis cotados na moeda norte-americana.

Outras cidades

Aprenda a investir na bolsa

Demais cidades da região têm experimentado notáveis mudanças no ranking, sendo elas as cambiais e a existência de uma grande oferta de unidades para locar.

No Vietnã, por exemplo, a cidade de Ho Chi Minh subiu 11 posições entre setembro do ano passado e fevereiro deste ano, ocupando agora a 23ª posição. Seul (Coreia) está na 16ª posição, depois de cair cinco lugares com a desvalorização do won em quase 30%.

Outra cidade que aparece no ranking e que subiu posições no valor de aluguel de imóveis para estrangeiros foi Jacarta (Indonésia), que está agora na 34ª posição.

Pesquisa

A pesquisa parte de uma base de 300 cidades ao redor do mundo, das quais é produzido um índice de aluguel de imóveis das 50 mais populares como destino para estrangeiros. Os dados são baseados nos aluguéis típicos de apartamentos de 1 a 4 quartos e casas de 3 a 4 quartos, mobiliados e não-mobiliados.

Nova York é considerada como a cidade-base, com pontuação 100. Moscou, no topo do ranking, tem pontuação 168,30, enquanto Johanesburgo (África do Sul), na 50ª posição, é substancialmente a mais barata, com pontuação 31,50.