China quer crescer 8% em 2009 e divulga medidas para estimular a indústria local

Setores de energia, siderurgia e a indústria manufatureira serão alguns dos beneficiados pelos projetos do gigante asiático

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – “A China definitivamente conseguirá atingir a meta de crescimento econômico de 8% em 2009”, afirmou nesta terça-feira Xulin, chefe do Departamento de Assuntos Fiscais e Financeiros da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China, durante coletiva em Hong Kong.

“Ao julgar pelos indicadores dos quatro primeiros meses do ano, estou convencido de que é altamente possível alcançar um crescimento de 8%”, afirmou Xu. Os membros de planejamento do governo chinês observam atentamente o desempenho da economia, e já afirmaram estar preparados para aplicar medidas adicionais nos próximos meses caso seja necessário.

Expansão energética

Para sustentar o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) pelos próximos anos e atender a demanda energética, as autoridades chinesas divulgaram que planejam elevar a capacidade anual de processamento de petróleo para 405 milhões de toneladas até 2011, informou o Conselho de Estado após apresentar um plano de estímulo para a indústria petroquímica.

Aprenda a investir na bolsa

Com a medida, haverá um avanço de 18,4% no volume processado deste ano, em termos anuais, para 342,1 milhões de toneladas, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas da China. Em 2008, o gigante asiático produziu 189 milhões de toneladas de óleo cru.

O governo ainda pretende criar entre três e quatro novas refinarias nas proximidades de Xangai, Hong Kong e no sul da China.

Siderurgia

Não apenas as companhias de energia, mas também o setor de siderurgia quer se expandir. A China, maior consumidora de minério de ferro do mundo, informou que elevará a compra da matéria-prima no mercado à vista (spot) para pressionar os produtores a oferecerem mais descontos em contratos, informa nesta terça-feira a Associação de Aço e Minérios da China.

“O atual desconto de 20% é insuficiente”, afirma Shan Shanghua, secretário-geral da Associação, sem dar mais detalhes.

A Vale (VALE3, VALE5), maior fornecedora de minério de ferro do mundo, ofereceu esta mesma porcentagem quando começou a negociar contratos em 2009.

As mineradoraa chinesas, que compraram US$ 60,5 bilhões em minério de ferro em 2008, querem que as produtoras Vale, Rio Tinto e BHP Billiton reduzam seus preços em até 50% para refletir a queda na demanda pela matéria-prima, principalmente por conta da crise financeira internacional.

Indústria manufatureira

PUBLICIDADE

As autoridades da China ainda planejam revitalizar e reestruturar pequenas indústrias através da criação de 3 milhões de empregos em companhias manufatureiras, afetadas pela queda da demanda global por conta da crise mundial.

No entanto, o governo não informou o montante que será aplicado e não mencionou se a quantia que será utilizada será proveniente do pacote de estímulos de 4 trilhões de yuans (US$ 586 bilhões) anunciado pelo governo no ano passado.