Charlie Munger, parceiro de Buffett, morre aos 99 anos

Dono de uma fortuna estimada em mais de US$ 2 bilhões, Munger era sócio de Buffett na Berkshire Hathaway

Equipe InfoMoney

Publicidade

Charlie Munger, sócio de Warren Buffett na Berkshire Hathaway, faleceu em um hospital na Califórnia, nos Estados Unidos. A informação foi divulgada pela companhia na tarde desta terça-feira (28).

“A Berkshire Hathaway não poderia ter chegado ao seu status atual sem a inspiração, sabedoria e participação de Charlie”, afirmou Buffett, CEO da empresa, no comunicado. A família se responsabilizará pelos devidos trâmites seguindo as instruções de Munger, completa o documento.

Leia também:

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Charlie Munger: o “braço direito” de Buffett que se tornou ícone do mercado financeiro

Detentor de uma fortuna estimada em cerca de US$ 2,3 bilhões em 2021, Charles Thomas Munger era um dos principais ícones do mercado financeiro, influenciando gerações como um dos grandes pensadores e estrategistas do segmento de investimentos.

Charlie, como é conhecido, era vice-presidente da Berkshire Hathaway, comandada por Buffett, considerado um dos maiores investidores do mundo, com quem Charlie mantinha uma amizade de mais de 60 anos.

Continua depois da publicidade

Munger foi vice-presidente do conselho da Berkshire desde 1978, trabalhando em estreita colaboração com Buffett na alocação de capital do conglomerado sediado em Omaha, Nebraska, e sendo rápido em apontar quando ele cometia um erro.

Charlie Munger tinha 99 anos e completaria 100 anos no próximo dia 1º de janeiro.

Trajetória

Advogado de formação, Munger ajudou Buffett, sete anos mais novo, a criar uma filosofia de investimento em empresas a longo prazo. Sob a sua gestão, a Berkshire obteve um ganho médio anual de 20,1% entre 1965 e 2021 – quase o dobro do ritmo do índice S&P 500. Décadas de retornos compostos transformaram a dupla em bilionários e heróis populares entre muitos investidores.

Munger era vice-presidente da Berkshire e um de seus maiores acionistas, com ações avaliadas em cerca de US$ 2,1 bilhões em 2 de março de 2022. Seu patrimônio líquido geral era de cerca de US$ 2,5 bilhões no início de 2023.

Nas reuniões anuais da empresa em Omaha, Nebraska, onde ele e Buffett cresceram, Munger era conhecido por seu papel de repreender os excessos corporativos. À medida que a fama e a riqueza de Buffett cresciam – dependendo do preço das ações da Berkshire, ele era por vezes o homem mais rico do mundo – o valor da visão de Munger mostrando sempre um contraponto também aumentava.

“É fantástico ter um sócio que diga: ‘Você não está pensando direito’”, disse Buffett sobre Munger, sentado ao lado dele, na reunião da Berkshire em 2002. (“Isso não acontece com muita frequência”, interveio Munger.) Muitos CEOs se cercam de “um bando de bajuladores” pouco inclinados a desafiar suas conclusões e preconceitos, acrescentou Buffett.

De sua parte, Munger disse que Buffett se beneficiou por ter “um contraponto falante que sabia alguma coisa. E acho que tenho sido muito útil nesse sentido.”

Além do valor

Buffett atribuiu a Munger a maior abrangência da sua abordagem ao investimento. para além da visão do mentor Benjamin Graham em comprar ações por uma fração do valor dos seus ativos subjacentes. Com a ajuda de Munger, ele começou a montar o conglomerado de seguros, ferrovias, manufatura e bens de consumo que registrou quase US$ 24 bilhões em lucro operacional em 2019.

“Charlie sempre enfatizou: ‘Vamos comprar negócios verdadeiramente maravilhosos’”, disse Buffett ao jornal Omaha World-Herald em 1999.

Isso significava olhar para empresas com marcas fortes e poder de precificação. Munger incentivou Buffett a adquirir a confeitaria californiana See’s Candies Inc. em 1972. O sucesso desse negócio – Buffett passou a ver a See’s como “o protótipo de um negócio dos sonhos” – inspirou o investimento de US$ 1 bilhão da Berkshire em ações da Coca-Cola.

Por outro lado, Munger também freava certos entusiasmos de seu companheiro de longa data da Berkshire.

Na reunião da Berkshire em 2002, Buffett ofereceu uma resposta de três minutos à questão de saber se a empresa poderia comprar uma empresa de TV a cabo. Munger disse duvidar que alguma estivesse disponível por um preço aceitável.

“A que preço você se sentiria confortável?” Buffett perguntou.

“Provavelmente a um preço mais baixo do que o seu”, rebateu Munger.

Recorte de papelão

De Los Angeles, Munger falava frequentemente por telefone com Buffett em Omaha. Mesmo quando não conseguiam se conectar, Buffett afirmou que sabia o que Munger pensava. Quando Munger faltou a uma reunião especial de acionistas da Berkshire em 2010, Buffett levou ao palco um recorte de papelão do seu parceiro e imitou Munger dizendo: “Não poderia estar mais de acordo”.

Munger foi um crítico ferrenho do mau comportamento empresarial, qualificando de “loucos” e “imorais” os pacotes de remuneração dados a alguns executivos-chefes. Ele chamou o Bitcoin de “veneno nocivo”, definiu a criptomoeda geralmente como “em parte fraude e em parte ilusão” e alertou que grande parte do setor bancário havia se tornado “jogo de azar”.

“Adoro sua capacidade de ir direto ao cerne das coisas e não se importar com o modo com que ele diz isso”, disse Cole Smead, CEO da Smead Capital Management, um investidor de longa data da Berkshire. “Na sociedade de hoje, isso é algo realmente único.”

Embora Munger se tenha alinhado com o Partido Republicano dos EUA e Buffett tenha ficado do lado dos Democratas, os dois encontraram frequentemente pontos em comum em questões como a conveniência de cuidados de saúde universais e a necessidade de supervisão governamental do sistema financeiro.

Mas, embora Buffett viajasse pelo mundo instando os bilionários a abraçarem a caridade, Munger disse que uma empresa privada como a Costco Wholesale Corp. – onde ele atuou no conselho por mais de duas décadas – fez mais bem à sociedade do que grandes fundações filantrópicas.

Ele atuou como presidente do Hospital Bom Samaritano em Los Angeles. Doações multimilionárias à Universidade de Michigan e à Universidade da Califórnia em Santa Bárbara para novas instalações habitacionais deram-lhe a oportunidade de ceder

Ele é apaixonado pela arquitetura – embora sua visão de um dormitório para 4.500 pessoas no campus de Santa Bárbara tenha gerado protestos em 2021 porque a grande maioria dos quartos não terá janelas.

Personalidade

Embora ele nunca tenha rivalizado com Buffett em termos de ser uma celebridade mundial, a maneira direta de falar de Munger lhe rendeu seguidores por mérito próprio.

Ele usou o termo “groupies” para se referir a seus fãs, muitas vezes chegando às centenas, que se reuniram para vê-lo mesmo sem Buffett. Apresentando as reuniões anuais da Wesco Financial Corp., uma unidade da Berkshire, em Pasadena, Califórnia, Munger expôs sua filosofia de vida e de investimento.

Na reunião de 2011, a última antes de a Berkshire assumir o controle total da Wesco, Munger disse ao seu público: “Todos vocês precisam de um novo herói de culto”.

Charles Thomas Munger nasceu em 1º de janeiro de 1924, em Omaha, o primeiro dos três filhos de Alfred Munger e da ex-Florence Russell, conhecida como Toody. Seu pai, filho de um juiz federal, formou-se em direito na Universidade de Harvard antes de retornar a Omaha.

O contato inicial de Munger com a família Buffett ocorreu por meio de seu trabalho aos sábados no Buffett & Son, o supermercado de Omaha administrado por Ernest Buffett, avô de Warren. Mas os dois futuros parceiros só se encontrariam anos mais tarde.

Munger ingressou na Universidade de Michigan aos 17 anos com planos de estudar matemática, “principalmente porque era muito fácil”. “Quando eu era jovem, conseguia tirar nota A em qualquer curso de matemática sem fazer nenhum trabalho”, disse ele em uma conversa em 2017 na Ross Business School, em Michigan.

Nome para Harvard

Em 1942, durante seu segundo ano, alistou-se no Corpo Aéreo do Exército, que logo se tornaria a Força Aérea.

Ele foi enviado para o Instituto de Tecnologia da Califórnia para aprender meteorologia antes de ser enviado para Nome, no Alasca. Foi nesse período, em 1945, que se casou com sua primeira esposa, Nancy Huggins.

Na falta de um diploma de graduação, Munger se inscreveu na Faculdade de Direito de Harvard antes de ser dispensado do Exército em 1946.

Ele foi admitido somente depois que um amigo da família e ex-reitor da escola interveio, de acordo com o livro de Janet Lowe de 2000, chamado “Muito bem! Nos bastidores com o bilionário da Berkshire Hathaway Charlie Munger”.

Munger trabalhou na Harvard Law Review e em 1948 foi um dos 12 da turma de 335 a se formar com grandes honras (magna cum laude).

Com sua esposa e filho, Teddy, Munger mudou-se para a Califórnia para ingressar em um escritório de advocacia em Los Angeles. Eles tiveram mais duas filhas antes de se divorciarem, em 1953.

Em 1956, Munger casou-se com Nancy Barry Borthwick, mãe de dois filhos, e com o tempo eles expandiram sua família mesclada tendo mais quatro filhos. (Teddy, o primogênito de Munger, morreu de leucemia em 1955.)

Não satisfeito com o potencial de renda de sua carreira jurídica, Munger começou a trabalhar em projetos de construção e negócios imobiliários. Ele fundou um novo escritório de advocacia, Munger, Tolles & Hills, e, em 1962, iniciou uma parceria de investimentos, Wheeler, Munger & Co., inspirada nas que Buffett havia estabelecido com seus primeiros investidores em Omaha.

“Assim como Warren, eu tinha uma paixão considerável por ficar rico”, disse Munger ao escritor Roger Lowenstein para o livro “Buffett: A Formação de um Capitalista Americano”, publicado em 1995.

“Não porque eu quisesse Ferraris – eu queria independência. Eu queria isso desesperadamente. Achei indigno ter que enviar faturas para outras pessoas.”

Introdução de 1959

Sua fatídica apresentação a Buffett ocorreu durante uma visita à sua casa em Omaha, em 1959. Eles se deram bem imediatamente.

Em pouco tempo, eles passaram a conversar ao telefone quase diariamente e investiam nas mesmas empresas e títulos.

Os seus investimentos na Berkshire Hathaway começaram em 1962, quando a empresa fabricava forros para ternos masculinos em fábricas têxteis em Massachusetts. Buffett assumiu o controle acionário em 1965.

Embora as fábricas tenham fechado, a Berkshire permaneceu como o veículo corporativo do crescente conglomerado de empresas de Buffett.

Uma descoberta conjunta crucial foi uma empresa chamada Blue Chip Stamps, que administrava jogos de recompensa populares oferecidos por mercearias e outros varejistas. Como as lojas pagavam antecipadamente pelos selos e os prêmios eram resgatados muito mais tarde, a Blue Chip, a qualquer momento, ficaria sobre uma pilha de dinheiro, como faz um banco.

Usando esse conjunto de capital, Buffett e Munger compraram o controle acionário da See’s Candies, do Buffalo Evening News e da Wesco Financial, a empresa que Munger lideraria.

Em 1975, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA alegou que a Blue Chip Stamps tinha manipulado o preço da Wesco porque Buffett e Munger tinham persuadido a sua administração a abandonar um plano de fusão.

A Blue Chip resolveu a disputa concordando em pagar aos ex-investidores da Wesco um total de cerca de US$ 115 mil, sem admissão de culpa. A provação sublinhou os riscos de Buffett e Munger terem interesses financeiros tão complicados e sobrepostos.

Um esforço de anos para simplificar as coisas culminou em 1983 com a fusão da Blue Chip Stamps com a Berkshire. Munger, cuja participação na Berkshire subiu para 2%, tornou-se vice-presidente do conselho de Buffett.

Touro Chinês

Nos últimos anos, os fãs de Munger continuaram a viajar para Los Angeles para lhe fazer perguntas nas reuniões anuais do Daily Journal Corp., uma editora que ele liderou como presidente.

Ele mostrou seu talento para investir o dinheiro da empresa em ações temporariamente consideradas “derrotadas”, como Wells Fargo & Co. durante o auge da crise financeira de 2008-2009.

Munger também foi durante muitos anos mais otimista do que Buffett quando se tratava de investir na China.

A Berkshire tornou-se o maior acionista da montadora chinesa BYD Co., por exemplo, embora a Berkshire tenha começado a reduzir essa participação em 2022.

Munger começou a compartilhar seu título de vice-presidente na Berkshire em 2018 com dois executivos “senior” da geração seguinte, Greg Abel e Ajit Jain, que foram nomeados para o conselho num sinal há muito aguardado dos planos de sucessão de Buffett.

Foi o próprio Munger quem, três anos antes, sinalizou a provável promoção deles com elogios feitos à sua maneira característica: com um “golpe indireto” no chefe. “Em alguns aspectos importantes” “cada um deles é um executivo de negócios melhor do que Buffett”, ele escreveu de Abel e Jain em 2015.

(com Bloomberg)