Carteiras Recomendadas: confira as melhores e piores performances de outubro

Em mês de forte alta do Ibovespa, apenas 2 dos 26 portfólios acompanhados pela InfoMoney conseguiram superar o benchmark

Por  Ricardo Guimarães Vieira

SÃO PAULO – Após um mês traumático em setembro, outubro representou um período extremamente favorável para a bolsa brasileira, que conseguiu recuperar as perdas recentes escorada na ligeira melhora das perspectivas para a crise na Zona do Euro e o risco de recessão nos EUA. Como resultado, o Ibovespa deixou o posto de pior investimento do mês – que ocupou entre abril e setembro – e acumulou ganhos de 11,49%, seu melhor desempenho mensal desde maio de 2009.

O repique de outubro foi impulsionado por um posicionamento mais concreto das autoridades europeias para conter a crise na Zona do Euro, com a promessa de expansão do fundo europeu, o perdão de 50% da dívida grega e a recapitalização de bancos em dificuldade.

Embora todas as carteiras recomendadas por bancos e corretoras tenham acompanhado a trajetória do mercado – com todas as carteiras reportando desempenho positivo -, elas tiveram uma rentabilidade média bem abaixo do índice, fato que ainda não tinha ocorrido em 2011. Por terem adotado uma estratégia mais defensiva em suas recomendações, a rentabilidade média dos 26 portfólios acompanhados pelo Portal InfoMoney em outubro foi positiva em 7,71%, ficando abaixo do benchmark em 3,76 pontos percentuais.

Contudo, a performance média dessas carteiras ainda segue bem acima do Ibovespa no acumulado do ano. Com rendimento negativo de 8,11% -, os portfólios compilados pela InfoMoney superam o índice de ações em 7,71 p.p., já que o benchmark acumula queda de 15,82% em 2011.

Ibovespa X Média das Carteiras Recomendadas em 2011
 Janeiro FevereiroMarçoAbril Maio JunhoJulhoAgostoSetembroOutubroAcum. 2011
Ibovespa-3,94%+1,22%+1,79%-3,58%-2,29%-3,43%-5,74%-3,96%-7,38% +11,49%-15,82%
Média das
Carteiras
-3,81%+1,25%+3,02%-0,36%-1,09%-1,27%-5,65% -2,10%-5,77% +7,73%-8,11%
Diferença+0,13 p.p.+0,03 p.p.+1,23 p.p.+3,22 p.p.+1,20 p.p.+2,16 p.p.+0,09 p.p.+1,86 p.p. +1,61 p.p. -3,76 p.p.+7,71 p.p.

Win e UM: as únicas que superaram o Ibovespa
O portfólio com melhor desempenho no mês de outubro foi o elaborado pela Win Trade. Com uma estratégia menos diversificada, contando apenas com 5 papéis com peso 20% de participação cada, o portfólio da corretora mostrou um rendimento positivo de 12,14%, superando em 0,65 p.p. o Ibovespa e em 4,75 p.p.. Todos os cinco ativos da carteira tiveram performance positiva no período: Petrobras (PETR4, +11,62%), Fibria (FIBR3, +6,92%), Bradesco (BBDC4, +12,12%), Vale (VALE5, +6,65%) e EzTec (EZTC3, +23,39%).

Com o bom desempenho da corretora nesse mês, sua carteira conseguiu saltar da 18ª para a 14ª colocação no ranking anual, com rendimento negativo de 9,04%.

Logo abaixo da Win, figura o portfólio da UM Investimentos, sendo as duas únicas corretoras a superarem o desempenho do Ibovespa no último mês. A exemplo da primeira colocada, a UM Investimentos também viu todas as suas recomendações se valorizarem nesse mês, além de também ter selecionado Petrobras, EzTec e Vale em sua carteira. Além dessas três, também contribuíram para o resultado positivo a forte alta da PDG (PDGR3, +23,49%), Pão de Açúcar (PCAR4, +15,26%), Dasa (DASA3, +14,11%).

Melhores e Piores Performances Mensais de 2011
MêsMelhor PerformancePior Performance
CorretoraRent.CorretoraRent.
JaneiroAmaril Franklin+1,05%XP Investimentos-7,50%
FevereiroOmar Camargo+5,09%Magliano (alto risco)*-1,42%
MarçoSouza Barros+7,62%Omar Camargo-1,29%
AbrilSpinelli +3,08%Socopa -6,95%
MaioBB e Amaril Franklin+3,24%Geral-8,34%
Junho Socopa+3,62%Planner e TOV -5,40%
JulhoSLW (Moderado)*-1,43%SLW (Arrojado)*-9,85%
Agosto Walpires+6,52%TOV -7,38% 
SetembroSLW+1,36%UM Investimentos-12,02%
Outubro Win +12,14% Bradesco+3,05% 
*por mudança na metodologia, passamos a adotar a partir de setembro apenas uma
carteira para cada corretora.

Bradesco: a pior do mês e do ano
Na ponta negativa da compilação de outubro, a carteira com pior desempenho ficou por conta das recomendações do Bradesco, que acumularam valorização de apenas 3,05% frente à alta de 11,49% do Ibovespa.

Dentre as 10 ações incluídas no portfólio, destaque negativo para BR Malls (BRML3, -3,44%), Drogasil (DROG3, -4,00%), Fleury (FLRY3, -3,52%) e Telesp (TLPP4, -0,03%), que conseguiram anular parcialmente as fortes altas registradas pelas ações de Alpargatas (ALPA4 +9,20%), Petrobras (PETR4) e Cielo (CIEL3, +8,59%).

Vale mencionar que, dessa forma, a carteira do banco caiu para a última posição no ranking anual, ocupando o espaço antes ocupado pelo Citigroup. O Citi, aliás, conseguiu subir para a antepenúltima colocação, após sua carteira relatar uma performance positiva de 9,83% no décimo mês do ano.

SLW: a única no positivo em 2011
Embora tenha ficado apenas na 12º posição em outubro, perdendo para o Ibovespa, a SLW segue com exceção, sendo a única a apresentar rendimento positivo no acumulado do ano.

No mês de outubro, o portfólio da corretora apresentou um rendimento positivo de 8,15%, ficando em linha com o rendimento médio das carteiras acompanhadas.

Contribuiu para essa performance a aposta em empresas de setores mais defensivos, como é o caso das elétricas, que representavam 70% da carteira no mês. Nessa linha, Coelce (COCE5, +6,35%), AES Tietê (GETI4, +4,13%), Tractebel (TBLE3, +5,36%) e Transmissão Paulista (TRPL4, +5,84%) se destacaram positivamente.

Dessa forma, o portfólio da corretora manteve-se na primeira posição no acumulado do ano, com rendimento positivo de 11,16%, resultado que é superior ao Ibovespa em 26,98 p.p.. Além disso, ela apresenta uma distância significativa de 13,01 p.p. em relação à segunda colocada no ranking anual, a Souza Barros.

Desempenho acumulado das carteiras recomendadas pelas corretoras em 2011
PosiçãoBanco/Corretora*Posição
Anterior
Rentabilidade
acumulada em 2011
Diferença sobre
o Ibovespa
SLW1º ()+11,16%+26,98 p.p.
Souza Barros4º (+2)-1,45%+14,37 p.p.
Coinvalores2º (-1)-1,63%+14,19 p.p.
HSBC3º (-1)-2,33%+13,49 p.p.
Geração Futuro8º (+3)-2,87%+12,95 p.p.
Itaú (Top 5)5º (-1)-3,03%+12,79 p.p.
XP Investimentos6º (-1)-6,08%+9,74 p.p.
Geral
12º (+4)-6,69%+9,13 p.p.
Gradual10º (+1)-6,79%+9,03 p.p.
10ºPlanner14º (+4)-8,06%+7,76 p.p.
11ºAmaril Franklin7º (-4)-8,46%+7,36 p.p.
12ºBB Investimentos11º (-1)-8,55%+7,27 p.p.
13ºPAX13º ()-8,93%+6,89 p.p.
14ºWin18º (+4)-9,04%+6,78 p.p.
15ºOmar Camargo17º (+2)-10,47%+5,35 p.p.
16ºSpinelli19º (+3)-11,22%+4,60 p.p.
17ºBanco Fator16º (-1)-11,79%+4,03 p.p.
18ºAtiva15º (-3)-12,13%+3,69 p.p.
19ºUM Investimentos20º (+1)-13,24%+2,58 p.p.
20ºCitigroup**23º (+3)-17,89%-2,07 p.p.
21ºSocopa
22º (-1)-19,32%-3,50 p.p.
22ºBradesco21º (-1)-20,10%-4,28 p.p.

*por mudança na metodologia, passamos a adotar a partir de setembro apenas uma carteira para cada corretora.
Com isso, o número de carteiras participantes diminuiu do mês passado para este mês.
**Após revisar os números, a carteira do Citigroup saiu da última para a antepenúltima colocação do ranking
anual, ultrapassando Bradesco e Socopa.

Metodologia
Para realizar o levantamento de outubro, a InfoMoney utilizou carteiras de ações recomendadas para o período mensal por 26 corretoras e bancos: Amaril Franklin, Ativa, Bank of America Merrill Lynch, BB Investimentos, Bradesco, BTG Pactual, Citi Corretora, Coinvalores, Fator, Geração Futuro, Geral, Gradual, HSBC, Itaú BBA, Octo, Omar Camargo, PAX, Planner, SLW, Socopa, Souza Barros, Spinelli, UM Investimentos, Walpires, WinTrade e XP.

Para avaliar o desempenho no acumulado em 2011, três casas de research foram excluídas por não termos tido acesso às carteiras divulgadas para os meses anteriores: Bank of America Merrill Lynch, BTG Pactual, Octo e Walpires.

Importante ainda destacar que:

1. A InfoMoney considerou a primeira publicação de cada uma destas carteiras nos referidos meses, não levando em consideração eventuais mudanças promovidas pelas corretoras e bancos em suas carteiras recomendadas no decorrer de mês.

2. As cotações consideradas nas comparações de desempenho são as de fechamento do último dia útil de cada mês, considerando sempre a cotação ajustada em um eventual provento que ocorrer no período (dividendo, juros sobre capital próprio, subscrição etc).

3. Utilizando metodologia semelhante à adotada no cálculo da carteira teórica do Ibovespa, o desempenho considerado das carteiras recomendadas em 2011 é cumulativo.

4. A partir de setembro passamos a adotar apenas uma carteira recomendada para cada corretora. Após informarmos as corretoras que possuíam mais de uma carteira no ranking sobre essa nova metodologia, decidimos junto com elas qual o único portfólio que seria utilizado e quais seriam excluídos.

Compartilhe