Carrefour emitirá R$ 1 bi em debêntures, Eletrobras adere à arbitragem sobre ADI impetrada pelo governo e mais

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta terça-feira (9)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta terça-feira (9) traz a emissão de debêntures do Carrefour Brasil (CRFB3) no valor inicial de R$ 1 bilhão. Além disso, a Eletrobras (ELET3) aderiu à arbitragem sobre ação do governo contra limitação do poder de voto na empresa. A Tenda (TEND3), por sua vez, projetou vendas líquidas de até R$ 3,5 bilhões em 2024.

O Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Rio de Janeiro homologou a renúncia apresentada pelo BTG ao refinanciamento do DIP Emergencial da Oi (OIBR3) e autorizou a contratação da proposta da AHG. Já Aeris (AERI3) anunciou prorrogação de contrato com Vestas até 2028 e prevê incremento de R$ 7,6 bi na receita

Confira mais destaques:

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Carrefour (CRFB3)

O Conselho de administração do Carrefour aprovou a 7ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até 5 séries, no montante total de, inicialmente, R$ 1 bilhão, observado que a quantidade de Debêntures inicialmente emitida poderá ser aumentada em até 25%, ou seja, em até 250 milhões.

Eletrobras (ELET3)

A Eletrobras aderiu ao processo arbitral que envolve a ação direta de inconstitucionalidade (ADI) impetrada pelo governo no Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a limitação do poder de voto da União na empresa. Em 20 de dezembro, o ministro Nunes Marques encaminhou o caso para a Câmara de Conciliação e Arbitragem (CCA).

Segundo a companhia, sua decisão representa uma “tentativa de conciliação e solução consensual e amigável entre as partes”. A Eletrobras afirmou, ainda, que eventuais deliberações decorrentes dos trabalhos na arbitragem serão submetidas à aprovação das instâncias de governança.

Continua depois da publicidade

Tenda (TEND3)

A Tenda (TEND3) projetou vendas líquidas de até R$ 3,5 bilhões em 2024. A companhia estima Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado entre o mínimo de R$ 375 milhões e o máximo de R$ 425 milhões no segmento Tenda em 2024, e entre R$ -50,0 milhões e R$ -30,0 milhões no segmento Alea.

Para a Margem Bruta Ajustada, entendida como a razão entre o resultado bruto do exercício e a receita líquida consolidada do exercício, estima-se uma oscilação entre o mínimo de 29,0% (vinte e nove por cento) e o máximo de 31,0% (trinta por cento) para o segmento Tenda, e entre o mínimo de 9,0% (nove por cento) e o máximo de 11,0% (onze por cento) para o segmento Alea.

Oi (OIBR3)

A Oi (OIBR3) informou que o Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro, homologou a renúncia apresentada pelo Banco BTG Pactual S.A. ao refinanciamento do DIP Emergencial, bem como ao direito de exigir o pagamento da taxa de rescisão prevista no instrumento de refinanciamento do DIP Emergencial (break-up fee), e autorizou a contratação da Proposta Concorrente AHG nos termos da documentação protocolada em juízo.

A conclusão da Proposta Concorrente AHG e o desembolso dos valores relativos à liquidez adicional à Companhia ainda estão sujeitos a determinadas condições, incluindo o registro do aditamento ao Contrato de Alienação Fiduciária de 95% das ações de emissão da V.tal – Rede Neutra de Telecomunicações S.A. detidas pelo grupo
Oi no momento do fechamento da operação.

Allos (ALOS3)

A Allos (ALOS3) informou a assinatura do acordo de acionistas da companhia entre Canada Pension Plan Investment Board, CPPIB Flamengo US LLC, Renato Feitosa Rique, Rique Empreendimentos e Participações Ltda., Bali Fundo de Investimentos em Ações, RLB Empreendimentos e Participações Ltda., Sierra Brazil 1 S.À.R.L., Sonae Sierra Brazil Holdings S.À.R.L., Cura Brazil S.À.R.L, com a interveniência de Sierra Investments Holdings B.V., Alexander Otto, Arosa Vermögensverwaltungsgesellschaft M.B.H. e Cura Beteiligungsgesellschaft Brasilien M.B.H.

Esse acordo tem como objetivo, adequar as disposições do Acordo de Acionistas considerando exclusão da opção de venda de ações da companhia de propriedade da Sierra Brazil 1 S.À.R.L e Sierra Investments Holdings B.V. contra as “Entidades Otto”.

Enjoei (ENJU3)

A Bessemer Venture Partners vendeu todas as ações da Enjoei (ENJU3) que detinha em seu portfólio. A Bessemer detinha 5,37% do capital social da Enjoei, o equivalente a 10.880.808 ações.

Vamos (VAMO3)

A Fitch Ratings atribuiu rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’ à nona emissão de debêntures da Vamos, que totaliza R$ 550 milhões e tem vencimento final em 2028. As debêntures são da espécie quirografária e seus recursos serão destinados a fins corporativos gerais, incluindo, mas não se limitando a, capital de giro, gestão de caixa e reforço de liquidez. A Fitch classifica a Vamos com Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’, com Perspectiva Estável.

Gafisa (GFSA3)

A Gafisa (GFSA3) informou que a ESH Theta Master Fundo de Investimento Multimercado, detentor de mais de 5% do capital votante da empresa, apresentou cinco nomes como sugestões para a eleição do Conselho de Administração. Os indicados são: Geraldo Affonso Filho, Manuel Jeremias Caldas, Daniel Ferreira, Ivanyra Maura Correia e Renata Alves.

A Assembleia Geral Extraordinária (AGE), aprovada pela empresa na última quinta-feira (4), está programada para ocorrer no dia 7 de fevereiro, a partir das 17h. A Gafisa esclarece que a eleição do colegiado será submetida à deliberação dos acionistas apenas se a destituição dos atuais conselheiros for aprovada.

Aeris (AERI3)

A Aeris (AERI3) e a Vestas celebraram novo aditivo para prorrogação da vigência do contrato de fornecimento até o final de 2028, conforme fato relevante. “O acordo poderá resultar em aumento líquido de receitas de até R$ 7,6 bilhões até o fim do prazo do contrato de fornecimento”, diz o documento.