BrMalls (BRML3) diz ser contra termos financeiros da oferta da Aliansce (ALSO3), mas está aberta a outras propostas

A brMalls afirmou não ser contra a combinação de empresas, mas proposta da Aliansce Sonae é uma aquisição, não uma fusão

Felipe Alves

Shopping Center (Pixabay)

Publicidade

O CEO da brMalls (BRML3), Ruy Kameyama, detalhou, em teleconferência com analistas nesta sexta-feira (18), os motivos pelos quais a empresa não aceitou a proposta de combinação de negócios com a Aliansce Sonae. Ontem, a brMall reportou lucro líquido de R$ 186,2 milhões no 4º trimestre, queda de 6,6%.

“A administração da brMalls não é contra a combinação de empresas, mas é fortemente contra os termos financeiros propostos. Estamos prontos para negociar proposta verdadeira de ativos, desde que reflita o valor justo da empresa”, afirmou.

Apesar de negar a proposta feita pela Aliansce Sonae, a brMalls (BRML3) diz que está aberta a novas propostas do mercado para fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês). Mas também está muito focada em crescimento orgânico para os próximos três anos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Conforme Kameyama, a companhia mantém conversas para M&A de outros negócios, acrescentando que vê mérito em fusões, mas que a proposta da Aliansce Sonae esbarra na “questão de preço e a relação de troca é essencial para se criar valor para os acionistas da brMalls”.

Ruy ressaltou ainda que a brMalls é uma empresa que tem um ótimo portfólio, estratégia clara de evolução e trajetória crescente. “Existem outras conversas em curso que não são públicas”, afirmou. A companhia está em negociação, por exemplo, com a empresa de shoppings Ancar.

Razões para não aceite da Aliansce

Ele destacou quatro pontos que levaram os consultores da companhia a recusar a proposta. A brMalls entende que a proposta não se trata de uma fusão e sim de uma aquisição, já que os controladores da nova companhia seriam a Aliansce Sonae. Sendo assim, a brMalls não vê prêmio de controle para os acionistas da companhia.

Continua depois da publicidade

Kameyama destacou também que a ação da brMalls foi subavaliada e que a proposta oneraria os acionistas da brMalls, que arcariam com metade da nova dívida de R$ 1,85 bilhão. Seria então um aumento do endividamento da companhia e reduziria os benefícios das sinergias para os acionistas da brMalls.

Para a companhia, há também uma significativa diferença da qualidade do porfólio das duas empresas. Kameyama afirmou que os shoppings da brMalls têm melhores números de vendas, alugueis e NOI do que os da Aliansce Sonae.

O último ponto é que setor de shoppings passa por desafios estruturais e a brMalls vê que o portfólio da Aliansce tem “pontos de atenção em shoppings vulneráveis, que são riscos relevantes”.

BrMalls e a Covid

Ruy Kameyama, CEO da brMalls (BRML3), avaliou ainda que a Covid ficou para trás e que a companhia está voltando com força para 2022. Segundo ele, os números de 2021 da empresa mostram que o ano foi um ponto de inflexão, onde os impactos da Covid-19 são águas passadas.

O executivo acrescentou que os próximos três anos vão ser muito bons para o business tradicional da empresa e também para a aquisição e integração das novas companhias. “Novas soluções de negócios vão aumentar valor. O diferencial será não a quantidade de shoppings, mas a escala, qualidade e novas soluções”, afirmou.

Rentabilidade

Kameyama afirmou que a expectativa é de crescimento de topline, Ebitda e melhores margens para 2022. A margem Ebitda deve ficar acima de 70% este ano. “Vamos desalavancar e recuperar o FFO”, afirmou em teleconferência com analistas.

Além disso, a empresa projeta que receita de mídia alcance 20% da receita total da companhia. Após a aquisição da empresa Hello Mídia Brasil em setembro de 2021, a brMalls afirmou que já colhe os frutos da nova companhia e projeta uma avenida de crescimento importante para este segmento nos próximos anos.

Eduardo Langoni, CFO, afirmou em teleconferência, que as receitas de mídia vêm ganhando relevância a cada trimestre, e “é uma avenida importante para a brMalls”.

Houve aumento de 29,7% de receita de mídia no 4TRI21, demonstrando a incorporação da Hello. Ela representou 6,5% da receita bruta total de brMalls. A expectativa é que ela corresponda a 20% da receita total da companhia.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.