Petroquímica

Braskem (BRKM5) registra alta de 2% na vendas de químicos no Brasil no 2º trimestre de 2022

As vendas totalizaram 725 mil toneladas de químicos no Brasil no período

Por  Felipe Moreira -

A Braskem (BRKM5) divulgou nesta quinta-feira (21) o relatório de produção e vendas do segundo trimestre de 2022 (2T22). As vendas totalizaram 725 mil toneladas de químicos no Brasil no período, crescimento de 2% na comparação anual, mas queda de 11% em relação ao 1T22.

Segundo a companhia, as vendas foram inferiores em relação ao 1T22, em função da redução de vendas de benzeno e de gasolina, devido a menor disponibilidade de produtos para venda dada a menor taxa de utilização das centrais petroquímicas no período. Ante ao 2T21, as vendas aumentaram devido ao maior volume de vendas principalmente de cumeno, devido a ampliação de market share e redução do volume importado para atender demanda de cliente do mercado interno.

As exportações foram inferiores em relação ao primeiro trimestre deste ano (-5%), principalmente devido a menor
disponibilidade de produto para a exportação no período.

Com relação ao 2T21, as exportações reduziram (-39%) em função principalmente do menor volume exportado de butadieno e benzeno, devido a menor disponibilidade de produtos para exportação, apesar das exportações de gasolina terem aumentado devido as melhores margens no mercado externo no período.

Já as vendas de de resinas foram de 879 mil toneladas no 2T22, mantendo-se em linha com o 1T22, sustentada pela manutenção da demanda local. Na comparação com 2T21, o aumento (+11%) é explicado pelo aumento do market share, que havia sido menor no 2T21, principalmente devido a parada geral de manutenção programada na central petroquímica do ABC, São Paulo e ao aumento dos volumes de importação no mesmo período do ano anterior.

As exportações totalizaram 230 mil toneladas no 2T22, desempenho 7% superior ao  reportado no 2T21, em função do aumento no volume de PE exportado, dada a menor disponibilidade de PE nos Estados Unidos para exportação e de melhores condições logísticas para exportação. Em relação ao 2T21, as exportações aumentaram 29% devido as melhores condições logísticas para exportação.

A taxa média de utilização das centrais petroquímicas foi de 74% entre abril e junho de 2022, apresentando uma redução em relação ao 1T22 (-12 p.p.) e ao 2T21 (-2 p.p.).

Conforme a Braskem, o desempenho foi afetada negativamente pela parada programada de manutenção na central petroquímica do Rio Grande do Sul e na planta de PVC Alagoas e da indisponibilidade de matéria-prima nas centrais petroquímicas do Rio de Janeiro e ABC, São Paulo, devido ao menor fornecimento e paradas programadas de manutenção de fornecedor nacional, respectivamente.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe