Temporada de balanços

Braskem (BRKM5) segue foco na disposição de dividendos e redução da dívida; ações sobem

Ações sobem mais de 1% após divulgar lucro líquido de R$ 530 milhões no balanço do 4º trimestre, cifra 37% menor na comparação anual

Por  Augusto Diniz -

O CEO da Braskem (BRKM5), Roberto Simões, disse nesta quinta-feira (17), em teleconferência com analistas de mercado, que a empresa segue comprometida com a alocação de capital para a redução da dívida bruta, na disposição de dividendos e nos investimentos estratégicos e necessários para manter a operação da companhia.

As ações da empresa sobem 1,03%, por volta das 14h30, após divulgar lucro líquido de R$ 530 milhões no balanço do 4º trimestre do ano passado, representando uma queda de 37% no resultado na comparação anual. A dívida bruta da empresa em 2021 ficou em US$ 8,4 bilhões, 18% menor do que em 2020.

Sobre a disposição de dividendos, Simões destacou o envio da proposta para a distribuição de dividendos adicionais no montante de R$ 1,35 bilhão, referente ao exercício de 2021. A aprovação será levada à Assembleia Geral Ordinária a ser realizada no próximo dia 19 de abril.

O Morgan Stanley escreveu que o trimestre exemplificou a natureza cíclica da indústria, com a contração dos spreads gerando resultados mais fracos, embora em linha. Porém, com base em fortes finanças e geração de caixa, esperava-se dividendos complementares próximos a US$ 700 milhões, contra os US$ 265 milhões anunciados.

Para o UBS, “mais uma vez, a Braskem apresentou resultados sólidos”, encerrando o ano com recordes históricos. Entretanto, avaliou como “inesperados” os dividendos adicionais, ao contrário do 3T21, quando se esperava um anúncio que não se concretizou, “gerando certa volatilidade nas ações”.

Ainda sobre os resultados, o UBS avaliou que “um bom ano termina, (e) um desafiador começa”. Segundo a análise, “mais uma vez, a Braskem apresentou resultados sólidos”, encerrando o ano com recordes históricos. Apesar do bom desempenho, o ponto de inflexão nos spreads já se refletiu no trimestre.

“Para 2022, esperamos mais pressão nas margens, seguindo o aumento nos custos de matérias-primas não acompanhado de reajuste de preços de venda em magnitudes semelhantes, além da revogação surpresa do REIQ (Regime Especial da Indústria Química) pelo governo”, diz a UBS, que tem recomendação de compra e preço-alvo de R$ 60,00.

Para o BofA, o estreitamento dos spreads em relação ao 3T21 ficou em linha com as expectativas do banco, e os eles devem permanecer abaixo dos níveis muito fortes vistos no início de 2021, seguindo como um obstáculo para as percepções.

“Ainda assim, as margens petroquímicas no 4T21 permaneceram em níveis elevados e os lucros e a geração de fluxo de caixa foram saudáveis”, ressalta o banco. Após resultados do 4T21, BofA manteve a recomendação de compra para Braskem (BRKM5), com preço-alvo de R$ 80,00

“Esperamos que a Braskem se beneficie de margens petroquímicas positivas, que ainda estão em níveis atrativos, embora abaixo dos picos recentes; recuperação econômica; liderança em polietileno verde; e valorização favorável, apesar do forte desempenho das ações”, completou o BofA;

Spreads petroquímicos em queda em 2022

Durante teleconferência, os executivos da Braskem explicaram aos analistas que, sobre os spreads petroquímicos, “dentro de um perspectiva mais macro, numa lógica de oferta e demanda, não vê mudanças (em relação ao ano passado). Não há expectativa de normalização de spreads”.

Para 2022, a Braskem prevê para o Brasil, queda nos spreads de PE (polietileno) e PP (polipropileno) de base nafta. Já o spread de PVC deve permanecer em patamares acima da média histórica recente (2016-2020).

Também nos Estados Unidos e Europa, a empresa prevê queda nos spreads de PP-propeno, porém deve permanecer em patamares acima da média histórica recente (2016-2020).

Ainda sobre o Brasil, a Braskem tem expectativa para esse ano de manutenção da produção de eteno em patamares similares aos 4T21. Já o volume de vendas, a estimativa é de um resultado similar ao ano passado, em função da disponibilidade do produto.

A empresa acrescentou que eventos no ano passado, como pandemia, levou aumento do spread acima de um patamar normal, com queda já no final do ano passado. A recuperação do spread deve ocorrer somente em 2023, segundo a Braskem.

Os chamados spreads petroquímicos é um indicador utilizado no setor que define a diferença de preço do produto (resina) e da matéria-prima (utilizada na industrialização, como a nafta). A diferença é importante para definir as margens.

Petróleo

No balanço de 2021 da Braskem, a variação do capital de giro aumentou 176%, em relação a 2020, no resultado operacional.

Segundo a empresa, o aumento (da variação) é justificado principalmente pela subida de custos operacionais, notadamente com o petróleo. A Braskem aumentou também a importação da nafta, comprando inclusive com pagamentos a curto prazo, tendo, com isso, que alocar mais recursos no capital giro.

“Mas a evolução desse ano do capital de giro vai depender agora do valor do petróleo”, informou a empresa a analistas de mercado.

México

A Braskem (BRKM5) informou também  que segue o processo de seleção de potenciais parceiros no projeto do Terminal Químico Puerto México.

Em dezembro de 2021, a Braskem Idesa (associação da Braskem com a Idesa na operação do México) e Braskem aprovaram o investimento estimado de US$ 400 milhões para o projeto de construção do terminal de importação de etano no México.

Atualmente, o projeto está em fase de obtenção de licenças, permissões e detalhamento de engenharia (45% de avanço). A estimativa é de início da construção do terminal no segudo trimestre de 2022 e o startup das operações do terminal em 2024.

No 4T21, a operação do México obteve recorde trimestral das importações de etano dos Estados Unidos pela solução fast track, que atingiu uma média de 20,9 mil barris por dia de etano.

A companhia informou que está trabalhando para uma expansão adicional da solução fast track, que pode atingir a capacidade máxima de importação de etano dos Estados Unidos no volume de 35 mil barris por dia. A previsão de entrada em atividade dessa expansão é no terceiro trimestre de 2022.

Investimentos da Braskem 2022

Os investimentos a serem realizados ao longo de 2022 pela Braskem envolvem R$ 5,6 bilhões, de acordo com o relatado pela empresa.

Os recursos serão destinados, principalmente, para parada programada de manutenção nas plantas do Rio Grande do Sul, preparação para a parada programada nas plantas da Bahia em 2023, catch-up de projetos postergados em função do COVID, e projetos estratégicos, como expansão do negócio de biopolímeros e expansão da capacidade de produção de resina reciclada.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe