Dados prévios

Braskem (BRKM5) amplia uso de capacidade de suas usinas no 1º tri, vendas caem no Brasil

A petroquímica informou que suas centrais no Brasil atingiram 86% da capacidade de janeiro a março, ante 85% no último quarto de 2021 e 82% um ano antes

Por  Reuters

SÃO PAULO, 29 Abr (Reuters) – O uso da capacidade instalada das usinas da Braskem (BRKM5) teve tendência majoritária de alta no primeiro trimestre no Brasil e nas centrais no exterior.

A petroquímica informou na sexta-feira que suas centrais no Brasil atingiram 86% da capacidade de janeiro a março, ante 85% no último quarto de 2021 e 82% um ano antes. O aumento refletiu entre outros fatores a base de comparação mais fraca,

Devido à parada de manutenção programada na central do Rio Grande do Sul no começo do ano passado.

Do mesmo modo, nos EUA esse índice foi de 88%, aumento sequencial de 15 pontos percentuais e de 10 pontos ano a ano, período impactado pela tempestade de inverno Uri.

Na Europa, o indicador de 89% superou os 84% do trimestre imediatamente anterior, mas ficou abaixo dos 93% do primeiro quarto de 2021, refletindo “menor demanda no período”.

Já no México, o índice de 80% foi um ponto percentual menor na base sequencial, porém deu um salto de 22 pontos ano a ano.

VENDAS

As Braskem informou ainda que suas vendas de resinas no Brasil no primeiro trimestre subiram 2% sequencialmente, mas tiveram queda de 7% ano a ano, principalmente, da menor demanda de resinas no mercado brasileiro, “em função do efeito de recomposição de estoques na cadeia no primeiro trimestre de 2021 após impactos da Covid-19”.

Enquanto isso, as vendas de polipropileno da Braskem nos EUA crescem no primeiro trimestre foram 3% superiores sobre um ano antes, “em função da maior disponibilidade do produto”. Na Europa, as vendas do produto pela companhia de janeiro a março caíram 6% ano a ano, refletindo menor demanda.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe