Brasil e México fecham em alta, Argentina não abre

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas latino-americanas fecharam em alta nesta sexta-feira, influenciadas pelo elevada valorização dos índices norte-americanos. O Nasdaq Composite fechou em forte alta de 5,98%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P500 apresentavam variações positivas de 0,90% e 1,96%, respectivamente.
O índice IPC da Bolsa do México perdeu força no final do dia, encerrando o pregão em alta de 0,17%. Foi divulgado hoje o índice de preços ao consumidor, que registrou variação positiva de 0,86% em outubro, dentro do esperado pelo mercado. Os destaques de alta da bolsa mexicana ficaram para as ações do varejista Walmart (+4,46%), da Corporacion Interamericana de Entretenimiento (+1,71%) e da construtora ICA (+1,42%). Por outro lado, as maiores baixas entre os componentes do índice IPC ficaram para as ações do Grupo Bimbo (-7,14%), da siderúrgica Tamsa (-4,84%) e do grupo Apasco (-3,43%). Os investidores mexicanos acreditam que uma possível redução da taxa de juros norte-americana influenciaria positivamente o crescimento da economia do país.
As bolsas de valores da Argentina, do Chile, da Colômbia e do Peru não abriram nesta sexta-feira, em função do feriado religioso de Imaculada Concepção de Maria.
O IBVC da Bolsa de Caracas fechou em baixa de 1,27%, após a aquisição de 93% do Banco da Caracas pelo Banco da Venezuela, controlado pelo espanhol BSCH. O Banco de Caracas, quarto maior banco venezuelano, foi comprado por US$ 317 milhões. O resultado dessa operação foi a criação do maior banco do sistema financeiro venezuelano, que deterá 19% do mercado. Anteriormente, o Banco da Venezuela era o terceiro maior banco do país.
O preço do barril de petróleo venezuelano fechou a semana em US$ 26,45, US$ 3,84 a menos do que a semana passada. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, descontente com esse resultado, anunciou que irá falar com os presidentes da Organização de Países Exportadores de Petróleo(OPEP) para que o preço “não siga caindo”. O petróleo é o principal produto de exportação da Venezuela.







Outros mercados: Brasil Ibovespa 3,62%

Compartilhe