22 medalhas douradas

Brasil bate recorde de ouros nos Jogos Paralímpicos de Tóquio

Futebol de 5 comemorou; conquista no atletismo foi retirada

arrow_forwardMais sobre
(© Tokyo 2020 and TMG)

(ANSA) – O Brasil bateu seu recorde absoluto de medalhas de ouro em uma edição dos Jogos Paralímpicos ao conquistar sua 22ª medalha dourada no futebol de cinco neste sábado (4) em Tóquio.

A marca supera o melhor resultado até hoje, obtido nos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012, quando a delegação obteve 21 ouros. Com as conquistas entre a noite desta sexta-feira (3) e a madrugada e manhã deste sábado, o país chega às 71 medalhas paralímpicas no Japão, com 22 ouros, 19 pratas e 30 bronzes.

Além do ouro no futebol de 5, com a seleção conquistando seu pentacampeonato paralímpico com uma vitória sobre a Argentina, a outra conquista do dia veio com Fernando Rufino na canoagem VL2.

No entanto, o Brasil poderia ter 23 medalhas de ouro nas Paralimpíadas após Thiago Paulino, que havia terminado a prova do arremesso de peso na classe F57 como campeão e recordista mundial, perder a sua vitória.

Leia também:
Paralimpíada de Tóquio: Maria Carolina Santiago entra para história e leva para casa R$ 544 mil

A polêmica ocorreu porque a medalha foi retirada mais de 10 horas após a finalização da prova. A princípio, houve a informação de que a China teria feito um protesto sobre o lançamento do brasileiro, mas depois a organização dos Jogos Paralímpicos informou que foi um juiz quem teria visto uma irregularidade.

Por conta disso, o Comitê Paralímpico do Brasil não pode recorrer (só poderia se a reclamação fosse feita por outra equipe) e até agora não foi informada sobre qual irregularidade foi cometida. Para o CPB, o que ocorreu foi um “absurdo”, pois, no vídeo da prova, não há nenhuma infração visível.

Paulino, então, ficou com o bronze. O ouro ficou com o chinês Gu Wuoshan e a prata com o brasileiro Marco Aurelio Borges. No pódio, Paulino protestou após perder a medalha. Nas redes sociais, o atleta afirmou que isso foi um “golpe muito forte”.

“Não encontramos irregularidades em meus arremessos, mas de alguma forma a organização encontrou. Por isso a medalha de ouro, que considero ser nossa, do Brasil, por direito, não está em nossas mãos. Não é fácil, a pancada foi muito forte, mas em respeito a todos vocês que torceram muito por mim e todos que me apoiam, vou continuar na caminhada, pisando ainda mais forte”, escreveu.

Oito medalhas

PUBLICIDADE

Além dos dois ouros, o Brasil teve outras oito medalhas no sábado.

Débora Menezes conquistou a prata no parataekwondo categoria K44 com mais de 58kg, Giovane de Paula conquistou a prata na canoagem VL2, Ricardo Gomes foi bronze na T37 nos 200 metros no atletismo, Thalita Simplício e Jerusa dos Santos foram prata e bronze nos 200m da T11 e Thomaz Moraes e Petrúcio Ferreira foram prata e bronze nos 400m na T47.

Nas equipes, o país conquistou o bronze no vôlei feminino sentado.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.