Bradesco vê ação da CSN sobrevalorizada e sugere papéis da Usiminas

Para analistas, dados da Fenabrave já eram esperados e mostram temor de fim da redução do IPI para automóveis

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) para a primeira quinzena de maio apontaram queda de 4,1% nas vendas de veículos na comparação mensal e recuo de 2,47% frente ao verificado no mesmo período do ano passado. Para os analistas, números positivos para a Usiminas.

Dentre as três grandes siderúrgicas brasileiras listadas na bolsa, Usiminas e CSN são mais expostas ao mercado automotivo que a Gerdau. A Bradesco Corretora considera a notícia positiva para a Usiminas, pois enxerga os ativos da CSN (CSNA3) sobrevalorizados, com a tendência de apresentarem desempenho inferior ao do Ibovespa este ano.

Segundo os números divulgados na véspera, o número de veículos emplacados registrou alta de 0,34% na primeira quinzena de maio, na comparação com o mesmo período do mês anterior. Já em relação à primeira metade de maio de 2008 (217.968 veículos), houve decréscimo de 10,02%.

Queda esperada

Aprenda a investir na bolsa

“A queda nas vendas indica que março e abril foram meses extremamente fortes, com os consumidores temendo o fim do programa de incentivo (não cobrança do IPI) para o setor automotivo”, explica a instituição. “Dessa forma, a queda já era esperada”.

Os analistas acreditam que as vendas da Usiminas estão se recuperando gradativamente e as medidas de corte de custos já estão em curso. A Bradesco Corretora recomenda as ações ordinárias (USIM3)
e preferenciais classe A (USIM5) da siderúrgica.