Radar InfoMoney

Bradesco pagará R$ 3,5 bi em proventos e mais empresas aprovam remuneração, estreia da Neogrid na B3, mudanças no Magalu e outras notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta quinta-feira (17)

SÃO PAULO – O noticiário corporativo é movimentado nesta quinta-feira, com o leilão de transmissão da Aneel, as mudanças na estrutura organizacional do Magalu, o pagamento de proventos por Bradesco, BR Distribuidora, Cesp e mais companhias, além da estreia da Neogrid na B3. Confira os destaques:

 

Vale (VALE3)

Segundo informações do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC), a quarta audiência de conciliação entre a Vale e as autoridades sobre a ação de danos morais de Brumadinho acontecerá hoje.

Na reunião da semana passada, as partes indicaram terem avançado em pontos-chave da estrutura do acordo, mas ainda não começaram a discutir o valor da compensação.

Sobre as expectativas para a reunião, o Morgan Stanley destacou: “nosso caso-base é que as partes vão concordar com uma estrutura para lidar com litígios e pagamentos de indenizações / reparações, mas não chegam a um acordo sobre o valor que a Vale pagará. Em um cenário base otimista, também esperaríamos um acordo com o governo de Minas Gerais sobre um pacote para financiar projetos de infraestrutura no estado. No cenário ainda mais otimista, as partes concordariam com a estrutura do acordo e com os pagamentos do pacote de infraestrutura de Minas Gerais e dos danos coletivos. Posto isto, pensamos ser baixa a probabilidade de que os dois últimos cenários se materializem – particularmente o caso mais otimista – na audiência de hoje dada a complexidade dos assuntos em discussão”.

Magalu (MGLU3

O Magazine Luiza fez mudanças em sua estrutura organizacional, com a criação de três novas vice-presidências. Fabrício Garcia vai comandar a vice-presidência de Operações, responsável pelas lojas físicas e pela área de logística e distribuição. Os serviços logísticos passam a ser totalmente integrados com o marketplace da varejista, e as lojas passam a ser pontos de coleta, entrega e expedição também de produtos dos vendedores cadastrados.

A vice-presidência de Negócios terá Eduardo Galanternik à frente, e responderá pelas áreas comercial e de marketing de todas as categorias e marcas do Magalu, inclusive todos os canais de vendas. A gestão passa a ser feita por categoria, dividida em Bans Duráveis e Bens Consumo, com Luiz Rego; Esportes, que inclui a Netshoes, com Julio Trajano; e Moda e Beleza, que inclui Zattini e Época Cosméticos, a cargo de Silvia Machado.

Por fim, o Magazine Luiza passa a ter a vice-presidência de Plataforma, comandada por André Fatala, que terá como missão construir o sistema operacional do varejo brasileiro, com soluções tecnológicas para varejistas.

O Magalu terá ainda cinco diretorias executivas e duas diretorias que respondem diretamente ao CEO Frederico Trajano: Marketplace, com Leandro Soares; Financeiro e Relações com Investidores, com Roberto Bellissimo; Gestão de Pessoas, com Patrícia Pugas; Administração e Controle, com Maria Isabel Bonfim; Clientes e Integração, com Graciela Kumruian; Análise de Dados, com Fernando Nagano; e Experiência do Consumidor, com Vinicius Porto.

Azul (AZUL4)

PUBLICIDADE

A companhia aérea Azul espera operar com 90% da sua capacidade doméstica neste mês, enquanto a capacidade total deve chegar a 70%. Nos três primeiros meses de 2021, a oferta em voos nacionais deve chegar a 100%, enquanto no total vai a 85%. “A flexibilidade única da frota, junto com a malha altamente conectada, permitiram que a Azul adequasse rapidamente sua capacidade, capturando a demanda em recuperação”, disse em comunicado a companhia.

Bradesco (BBDC3;BBDC4)

O Bradesco informou na quarta-feira que seu conselho de administração aprovou o pagamento de R$ 3,5 bilhões em juros sobre o capital próprio complementares.

O valor corresponde a R$ 0,3775 por ação ON e R$ 0,4152 por PN. Poderão se beneficiar os acionistas que estiverem inscritos nos registros da Sociedade em 28 de dezembro de 2020(data-base de direito), destaca o banco. Assim, a partir de 29 de dezembro, as ações passarão a ser negociadas em “ex-JCP”.

O pagamento será efetuado em 7 de janeiro de 2021, informou o banco por meio de fato relevante, acrescentando que, “com base no resultado a ser apurado no encerramento do exercício social de 2020”, poderá distribuir novos juros sobre o capital próprio e/ou dividendos.

BR Distribuidora (BRDT3)

O Conselho de Administração da BR Distribuidora aprovou na quarta a remuneração antecipada de R$ 498,12 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP) referentes ao exercício de 2020, informou a companhia em fato relevante. O montante corresponde a R$ 0,43 por ação, segundo a distribuidora de combustíveis, que acrescentou que o pagamento será efetuado em 12 de janeiro de 2021, com base na posição acionária de 21 de dezembro deste ano.

Cesp (CESP6)

A Cesp informou o pagamento de JCP de R$ 0,4264 por ON e PN e R$ 1,8245 por PNA, no valor de R$ 150 milhões.

“Terão direito a JCP as pessoas inscritas como acionistas da companhia na data base de 21 de dezembro de 2020, respeitadas as negociações realizadas até essa data”, destacou a Cesp.

“As ações da companhia serão negociadas ex-JCP a partir de 22 de dezembro de 2020, inclusive.”

Marcopolo (POMO4)

PUBLICIDADE

Em fato relevante na quarta, a Marcopolo afirmou que reunião do conselho de administração aprovou a alteração do modelo de negócio de suas operações localizadas na Índia. A empresa firmou contrato de venda de sua participação na empresa indiana Tata Marcopolo Motors Ltd, equivalente a 49% das ações, à acionista remanescente na sociedade, Tata Motors Ltd, por US$ 13,5 milhões.

A empresa também firmou contrato de licenciamento para a utilização da marca Marcopolo pela Tata Marcopolo Motors que, em contrapartida, pagará royalties sobre a receita dos produtos vendidos, por um período mínimo de 3 anos. A operação não está sujeita a aprovações regulatórias e deverá ser concluída nas próximas semanas, afirmou a Marcopolo.

O Bradesco BBI afirmou que, com a venda de sua participação na joint venture, a Marcopolo deve receber um fluxo de caixa de R$ 55 milhões no quarto trimestre, e ver um impacto positivo de R$ 24 milhões no faturamento líquido.

Na avaliação do banco, a joint venture não vinha trazendo à Marcopolo as recompensas esperadas, à medida que a fabricante de ônibus tinha um papel limitado nos esforços comerciais. A Tata era a única companhia oferecendo chassis aos ônibus, e tinha o contato direto com clientes locais.

Apesar da notícia positiva, o banco avalia que os clientes da Marcopolo continuam afetados pela pandemia de covid, portanto mantém avaliação em underperform (expectativa de valorização abaixo da média do mercado) para a ação da empresa, e preço-alvo de R$ 2,50 para as ações preferenciais em 2021, frente os R$ 2,92 negociados na quarta.

Também na quarta, a Marcopolo anunciou que o conselho de administração aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio a todos os acionistas da companhia, relativos ao exercício de 2020, de R$ 0,02 por ação. Os juros deverão ser creditados na conta de cada acionista no dia 22 de dezembro, com base nas posições dos acionistas na mesma data. Eles serão pagos a partir do dia 31 de março.

PetroRio (PRIO3)

Na quarta, a PetroRio S.A. anunciou que foi informada pela One Hill Capital LLC, que a empresa detém 6.421.710 ações ordinárias suas. Isso representa 4,44% do capital social da PetroRio. A One Hill teria afirmado que não visa alterar a estrutura administrativa da PetroRio e não faz parte de acordo ou contrato sobre direito de voto ou compra e venda de títulos da empresa.

Elétricas

Apesar do cenário econômico desafiador, o leilão de linhas de transmissão marcado para esta quinta, que ofertará 11 lotes de concessões em 9 Estados, deverá ter a presença de grandes investidores do setor elétrico. Segundo fontes ouvidas pela Agência Estado, o consenso é de que o risco no segmento é baixo e, além disso, há alternativas de financiamento de longo prazo para os projetos.

PUBLICIDADE

Entre as empresas interessadas no evento, que acontecerá na B3, em São Paulo, estão gigantes como Neoenergia (NEOE3), Engie (EGIE3), EDP Brasil (ENBR3), Alupar (ALUP11), Equatorial (EQTL3), Taesa (TAEE11), Isa Cteep (TRPL4), CPFL (CPFE3) e Eletrobras (ELET3;ELET6).

A estimativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com o leilão é de um movimento R$ 7,34 bilhões. Para o presidente da agência, André Pepitone, a participação das empresas está ligada à expectativa de retomada da economia em 2021. “O futuro é de recuperação, de investimentos e criação de empregos”, disse ele, durante evento promovido na terça-feira pela Enel Green Power.

Neogrid (NGRD3)

A Neogrid estreia na B3 na sessão desta quinta-feira. A companhia realizou nesta semana sua Oferta Pública Inicial de ações (IPO), que movimentou R$ 486,45 milhões e precificou a ação a R$ 4,50. A precificação ficou abaixo da faixa indicativa inicial, que ia de R$ 5,50 a R$ 7,25.

Do montante captado, R$ 337,5 milhões vão para o caixa da empresa, e o resto será destinado para fusões e aquisições e para investimentos em crescimento orgânico, principalmente em pesquisa e desenvolvimento, marketing e vendas.

Fundada em 1999, a Neogrid é uma empresa de “software as a service” (SaaS), dados e tecnologia da cadeia de suprimentos, conectando indústrias, distribuidores e varejistas.

A companhia define seu negócio como focado em “aumentar a disponibilidade dos produtos nas prateleiras, ao mesmo tempo em que reduz os estoques na cadeia de suprimentos”.

Seu principal mercado de atuação são as empresas de bens de consumo. Porém, a companhia pretende aumentar seus negócios em segmentos em que tem pouca presença, como farmacêutico, agronegócios, eletroeletrônicos, petroquímica e setor financeiro.

Com sede em Joinville, em Santa Catarina, a Neogrid tem uma lista de clientes com cerca de 37 mil empresas, entre elas a Sony, Bauducco, Cimed e Kraft Heinz. Em 2019, a companhia registrou lucro líquido de R$ 8,654 milhões, com uma receita líquida de R$ 207,099 milhões.

Guararapes Painéis

A fabricante de painéis de madeira Guararapes Painéis, com sede em Santa Catarina, pediu na quarta o registro para realizar sua oferta inicial pública de ações (IPO). A operação, a ser coordenada por Bank of America, BTG Pactual, XP, Citi, Bradesco BBI e UBS-BB, envolve a venda de ações novas, além de uma participação detida pelo fundo de investimento Brasil Agronegócio, da BRZ Investimentos.

Cedae

O conselho de administração da Cedae (Companhia Estadual de Água e Esgotos) aprovou na quarta, por maioria de votos, processo de concessão de partes da companhia, que tem potencial para levantar mais de R$ 10 bilhões para o Rio de Janeiro, segundo cálculos do governo estadual e do BNDES.

Fleury (FLRY3)

O grupo de medicina diagnóstica Fleury anunciou na quarta o lançamento de sua plataforma de testes genéticos com foco no mapeamento genético, a Sommos DNA. Segundo a companhia, o objetivo é identificar mutações no DNA e a relação com possível desenvolvimento de doenças a longo prazo ou que podem ser herdados por filhos, explicando que o serviço poderá detectar predisposição a doenças hereditárias.

 

Enjoei (ENJU3)

O Bradesco BBI iniciou na quarta a cobertura da ação da Enjoei com preço-alvo de R$ 18, o que configura um potencial de valorização de 60% em relação ao fechamento da véspera.

O banco diz esperar crescimento médio anual composto do volume bruto de mercadoria, nos próximos cinco anos, de 67%, frente média de 25% dos parceiros.

Para os analistas, a Enjoei oferece uma experiência de usuário forte, e destaca que o investimento de marketing quase quadruplicou em 2021 frente 2020, o que deve trazer novos investidores à plataforma, personalizando a experiência do usuário.

As ações tiveram alta de 9,7% desde a oferta inicial pública de ações, em novembro, 8,5 pontos percentuais acima de outras empresas do setor de e-commerce.

Vitru (NASDAQ: VTRU)

O Itaú BBA acompanhou por dois dias reuniões entre investidores brasileiros, o CEO da Vitru, Pedro Graça e seu CFO Carlos Freitas, acompanhados da equipe de relações institucionais. O banco disse avaliar que investidores mostraram interesse significativo. O banco afirmou que o balanço sobre o impacto da economia é positivo graças ao “modelo híbrido digital”, um currículo centrado no professor e uma alta taxa de retenção.

Entre os atributos da Vitru estariam uma sólida relação com uma rede crescente rede de parceiros, conteúdo testado para apoiar tanto professores quanto alunos e qualidade acadêmica consistente, que promove o engajamento de alunos e baixas taxas de evasão.

O banco mantém recomendação outperform (expectativa de valorização acima da média do mercado), com preço-alvo em US$ 18, frente os US$ 15,40 negociados na quarta na Nasdaq.

(com Agência Estado, Reuters e Bloomberg)

Quer receber aluguel sem ter imóvel? Thomaz Merluzzi, estrategista de Fundos Imobiliários da XP, oferece treinamento gratuito para quem busca uma fonte de renda passiva – inscreva-se já!