Comentário diário

Bolsas operam de lado à espera de indicadores norte-americanos

Mercados asiáticos fecham em alta com recuperação de indústria chinesa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – À espera de dados sobre a economia mundial, principalmente, a norte-americana, os mercados acionários globais operam sem rumo no pregão desta quinta-feira (1).

Em função da tempestade Sandy, que paralisou as bolsas de Nova York na segunda e terça, a publicação de dados importantes nos EUA, como a confiança do consumidor e o relatório ADP de emprego no setor privado, foi reprogramada para este pregão.

Além destes indicadores, a agenda norte-americana também reserve o ISM, que mede o nível de atividade industrial nos EUA, o relatório semanal sobre a quantidade de pedidos de auxílio-desemprego, bem como o índice que mensura as despesas com a atividade de construção de imóveis.

Recuperação da indústria
No continente asiático, onde os mercados já estão fechados, o sinal positivo foi predominante, após um indicador apontar a primeira expansão da indústria chinesa em três meses.

O PMI (Índice de Gerentes de Compra) da China, medido pelo HSBC, subiu para 49,5 em outubro – seu maior nível em oito meses – em comparação com a leitura final de 47,9 em setembro. Ainda que o índice continue em território contração, a alta é o mais recente sinal de recuperação da economia chinesa.

Pouco antes, o governo chinês publicou o PMI oficial do país, o qual aumentou para 50,2 em outubro, de 49,8 em setembro. Neste caso, o indicador sugeriu expansão da atividade, uma vez que ficou acima dos 50.

Mercado nacional
Por aqui, no pregão pré-feriado de Dia de Finados, a atenção dos investidores recai sobre a temporada de balanços corporativos do terceiro trimestre, com destaque para a divulgação dos números da Eletropaulo (ELPL4), Gerdau (GGBR4), Metalúrgica Gerdau (GOAU4), Usiminas (USIM3; USIM5) e Pão de Açúcar (PCAR4).

A agenda econômica reserva o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) da FGV (Fundação Getulio Vargas), a pesquisa industrial mensal do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), além de números sobre a balança comercial.