Bolsas norte-americanas operam em alta

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas norte-americanas operam em alta nesta segunda-feira, com a perspectiva de um desfecho nas eleições presidenciais. Além das decisões judiciais, declarações do presidente do Fed de que a inflação já não era mais sua principal preocupação sinalizaram que cortes nas taxas de juros não devem demorar. Com isso, setores como os de tecnologia, financeiro, de telecomunicações e farmacêutico, mais sensíveis a reduções nas taxas de juros, lideram as altas. O mesmo não se aplica às empresas do setor de bens de consumo, que estão operando em queda no pregão de hoje.

O Dow Jones, índice que reúne as blue chips norte-americanas, operava em alta de 0,13% às 13h00, horário de Nova York. Os destaques de alta ficam por conta das ações de empresas do setor de tecnologia, como Intel (+6,99%) e Microsoft (+5,74%), após a divulgação de crescimento das vendas no mercado de semicondutores. Com forte valorização estavam também os papéis do banco de investimentos JP Morgan (+5,94%), American Express (+3,31%) e do conglomerado financeiro Citigroup (+2,67%). A Coca-Cola, ainda abalada pela redução em suas expectativas de lucro para os próximos trimestres e pela perda da disputa com a Pepsi pela aquisição da Quaker, puxava o índice para baixo com desvalorização de 3,08%. A seguir vinham os papéis da Kodak (-1,76%) e Boeing (-0,54%).

O Nasdaq Composite, onde as ações das empresas de tecnologia estão reunidas, apresentava alta de 3,20%. Após o lançamento de seu novo software para transações via aparelhos celular, a fabricante de softwares Broadvision tinha seus papéis valorizados em 11,84%. A seguir vinham as ações da gigante Amazon (+9,60%) e da fornecedora de soluções para transações online e-Bay (+8,09%). Após a Yahoo! ter anunciado redução em suas previsões de lucro para o quarto trimestre de 2000, de 49 para 47 centavos por ação, e para 2001, de 57 para 52 centavos por ação, os papéis da gigante de internet operavam em baixa de 2,50%. Outra empresa que apresentava desvalorização em seus papéis era a Sun Microsystems (-5,02%), após declarações de analistas da Goldman Sachs de que a empresa sofreria com as incertezas atuais da economia, pelo menos a curto prazo.

O índice S&P 500, onde as 500 maiores empresas norte-americanas estão listadas, operava com valorização de 0,86%. Entre as empresas que operavam em alta, vale citar a fabricante de equipamentos Xerox (+15,79%), Lucent (+6,48%), Bank of America (+5,20%) e Cisco Systems (5,01%). Do lado negativo estão as empresas de bens de consumo, após divulgação por parte da fabricante de material para construção Lowes de que suas previsões de lucro por ação diminuiram em razão do desaquecimento das vendas. Assim, a gigante varejista Wal-Mart apresentava queda de 4,59%, seguida pela K-Mart (-4,35%), Colgate-Palmolive (-3,55%) e Home Depot (-3,04%).

Compartilhe