Bolsas norte-americanas fecham em alta; Nasdaq é destaque

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas norte-americanas encerraram o pregão desta quinta-feira em alta. O otimismo dos investidores pode ser atribuído a dois fatores. O primeiro deles é a confiança em um novo corte nas taxas de juros após a próxima reunião do Fed, que ocorrerá no final do mês, e o outro é o número de pedidos de auxílio desemprego relativos à primeira semana de janeiro. Segundo o Departamento de Comércio dos EUA, o indicador real foi de 345 mil, enquanto o mercado esperava por algo em torno de 370 mil novos pedidos. Tudo isso está contribuindo para a subida dos índices. Segundo alguns analistas, o pior já passou e os níveis alcançados no começo do ano já podem ser considerados como patamares mínimos. Mas o pregão não foi tão bom para as empresas tradicionais, já que o desempenho dos papéis mais defensivos acabou sendo inferior ao das empresas de tecnologia.

O Dow Jones Industrial, índice que concentra as 30 blue chips norte-americanas, fechou em alta de 0,05%, a 10.609,55 pontos. Entre as empresas que apresentaram valorização, destaque para Honeywell (+4,84%) e General Electric (+4,20%), que tiveram seu processo de fusão aprovado por 75% de seus acionistas. Outros destaques positivos foram as gigantes do setor financeiro JP Morgan Chase(+6,26%), American Express (+2,54%) e Citigroup (+1,97%), além da AT&T (+0,54%) e da Microsoft (+4,02%). Já entre as maiores baixas estavam as empresas de bens de consumo Phillip Morris (-6,57%), Johnson & Johnson (-3,59%), Coca Cola (-2,96%), McDonaldïs (-1,51%) e Procter & Gamble (-1,44%), além de empresas de bens intermediários como Alcoa (-3,82%), International Paper (-0,98%) e 3M (-0,17%).

O Nasdaq Composite, índice que reúne os papéis de empresas de tecnologia, encerrou o pregão em alta de 4,61%, a 2.640,56 pontos. Os destaques positivos foram Ericsson (+15,29%), que divulgou uma parceria com a sul-coreana 3IC para a distribuição de seus equipamentos CDMA naquele mercado, Sun Microsystems (+9,89%) e Cisco Systems (+7,93%). Os papéis da fabricante de equipamentos e sistemas para a internet foram encarados hoje como boas oportunidades de compra pelos investidores, após a forte queda de ontem provocada pela redução de suas estimativas de crescimento para o ano. Por outro lado, o destaque de queda foi a Yahoo! (-14,75%), que após divulgar expectativas para 2001 menores que o previsto pelo mercado teve suas ações rebaixadas pela maioria das grandes corretoras norte-americanas.

O S&P 500, índice que reflete o desempenho das 500 maiores empresas dos EUA, fechou em alta de 1,03%, a 1.326,81 pontos. Entre as maiores valorizações, vale citar a fabricante de sistemas Unisys (+15,23%), que em parceria com Dell e Microsoft desenvolverá um novo sistema de votação, a fim de evitar que o fiasco ocorrido na Flórida se repita. Outros destaques positivos foram as fabricantes de PCs Gateway (+14,84%), Apple (+8,68%), Dell (+7,04%) e Compaq (+5,89%), além da America Online (+5,17%), que se beneficia de rumores de que sua fusão com a Time Warner (+5,82%) será aprovada pela FCC (Federal Communications Comission) sem restrições no que tange o mercado de instant messengers, o qual ela domina amplamente. Por outro lado, o destaque negativo foi o setor de energia. Segundo um estudo feito em conjunto entre a PG&E e a Reliant Energy, as fornecedoras de energia elértrica do Estado da Califórnia teriam que elevar as tarifas cobradas em 70% ao longo dos próximos 2 anos para evitarem a falência. Assim, a Energy CP fechou em baixa de 9,40%, seguida por outras do setor como PG&E (-8,76%), Reliant Energy (-8,45%), Sempra Energy (-8,23%), DTE Energy (-7,36%) e Edison International (-6,11%).

Compartilhe