Bolsas mundiais

Bolsas mundiais sobem após segunda marcada por de temores com inflação nos EUA

Atenção ainda para os dados da economia: a Eurostat confirma queda de 0,6% do PIB da Zona do Euro no primeiro trimestre

Por  Equipe InfoMoney

Na segunda-feira, a Organização Mundial de Saúde alertou que a pandemia ainda não acabou, apesar da alta taxa de vacinação em alguns países.

Nos Estados Unidos, investidores temem que a inflação acima da meta de 2% do Federal Reserve por um período contínuo leve o banco central americano a alterar sua política monetária, piorando o cenário para ações que tendem a se beneficiar de taxas de juros baixas.

Esse temor é apontado como um dos principais fatores que levaram o índice S&P 500 a cair 4% a partir de meados da semana passada antes de se recuperar e fechar a semana com queda de 1,4%. O índice Nasdaq Composto caiu 2,4% enquanto que o índice Dow caiu 2,3%.

Na segunda-feira, o índice Dow caiu 0,2%; o S&P 500 perdeu 0,3%, em meio ao recuo de 0,7% do setor de tecnologia; e o Nasdaq Composto caiu 0,4%%. As ações de Apple e Netflix caíram 0,9%, enquanto que a Tesla caiu mais de 2%.

Nesta terça, no entanto, os índices Dow Futuro, S&P Futuro e Nasdaq Futuro têm altas, apontando para uma sessão de recuperação.

Na quarta-feira serão divulgadas as minutas da última reunião do Fed, que podem trazer mais pistas sobre como a instituição enxerga os sinais recentes de alta da inflação.

Dados divulgados na terça indicam que a economia do Japão recuou 5,1% entre janeiro e março em comparação com o mesmo período do ano anterior. O Produto Interno Bruto de março recuou 1,3% na comparação com o trimestre anterior, resultado levemente pior do que a expectativa de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 1,31%, enquanto que o Shanghai composto subiu 0,32%. O índice Kospi, da Coreia do Sul, subiu 1,23%.

Na Europa, o índice Eurostoxx sobe 0,44%, impulsionado pelos setores automobilístico e de petróleo, que ganham 1,3% cada um. O setor de telecomunicações recua 0,9%.

Investidores ainda acompanham os dados do PIB da Zona do Euro no primeiro trimestre, além de dados sobre emprego no mesmo período de alguns países europeus, como Reino Unido. O desemprego britânico marcou 4,8%, abaixo da projeção de analistas, de 4,9%, e abaixo do valor anterior, de 4,9%.

Já o PIB do primeiro trimestre o PIB da Zona do Euro recuou 1,8% na comparação anual, em linha com a projeção e com o valor anterior. Na comparação trimestral, o PIB recuou 0,6%, também em linha com a estimativa de analistas e com a variação anterior.

Veja o desempenho dos principais índices às 6h30 (horário de Brasília):
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,36%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,81%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,26%
Europa
*Dax (Alemanha), +0,4%
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,43%
*CAC 40 (França), +0,28%
*FTSE MIB (Itália), +0,72%
Ásia
*Nikkei (Japão), +2,09% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +1,42% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +1,23% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,32% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +0,72%, a US$ 66,75 o barril
*Petróleo Brent, +0,88% a US$ 70,07 o barril
*Bitcoin -0,39%, a US$ 45.013,06
**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 4,32%, cotados a 1242,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 193,44 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,42

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 175 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.

Compartilhe