Bolsas mundiais

Bolsas mundiais recuam com movimento de correção na Europa e nos EUA e em meio a temores regulatórios na China

Investidores continuam a monitorar o avanço da variante delta de Covid na Ásia, que leva governos de alguns países a reinstituir restrições de mobilidade

Por  Equipe InfoMoney

Os índices futuros americanos recuam nesta segunda-feira (26), marcada por quedas nas bolsas asiáticas e europeias.

Na segunda, o índice Hang Seng, de Hong Kong, teve fortes perdas, de 4,13%, apagando novamente os ganhos acumulados em 2021. Novamente, as ações dos setores de tecnologia e educação são destaque negativo, em meio a pressão regulatória por parte de autoridades da China sobre gigantes do setor.

Na sexta (23) passaram a circular documentos regulatórios do Conselho de Estado e do comitê central do Partido Comunista, datados do dia 19 determinando que instituições de educação estão proibidas de levantar recursos por meio de listagem de ações. Além disso, foram impostas limitações sobre o investimento de capital estrangeiro no setor.

New Oriental Education & Technology Group, Koolearn Technology e China Beststudy Education Group abriram a semana com quedas de mais de 30%.

No sábado (24), a autoridade regulatória antitruste da China determinou que a Tencent deve abrir mão de seus direitos de licenciamento de música, e impôs uma multa à empresa por seu comportamento anticompetitivo. As ações da Tencent caíram 7,72% na segunda; as da Alibaba recuaram 6,38%; e as da Meituan perderam 13,76%.

E na segunda o vice ministro do Exterior chinês afirmou durante conversas com o secretário de Estado americano que a relação entre os dois países “estão em um impasse, e enfrentam sérias dificuldades”. A fala consta em um release à imprensa divulgado pelo Ministério de Assuntos Exteriores da China.

Investidores também continuam a acompanhar a propagação da variante Delta do coronavírus na Ásia. No domingo a Indonésia estendeu as restrições no país por mais uma semana, segundo informações da agência internacional de notícias Reuters. A Coreia do Sul implementará o seu segundo nível mais alto de restrições a partir de terça, segundo informações divulgadas pela agência local de notícias Yonhap. Em Tóquio, o número de novos casos de coronavírus em um único dia ultrapassa a marca de 1.000 há seis dias, segundo o veículo Kyodo News.

Na China continental, o índice Shanghai fechou a segunda com queda de 2,34%; na Coreia do Sul, o Kospi recuou 0,91%. Os mercados do Japão reabriram após feriados na quinta e na sexta, e o Nikkei subiu 1,04%.

As perdas nas bolsas asiáticas contribuem para o desempenho negativo dos índices futuros americanos nesta segunda, que também registram um movimento de correção após quatro sessões de alta.

Na semana passada, ações do setor de tecnologia avançaram, beneficiando-se de resultados acima do esperado para o segundo trimestre, assim como do avanço da variante Delta –na pandemia, empresas de tecnologia foram capazes de manter bons desempenhos, e se tornaram foco de investimentos.

Na quinta, Twitter e Snap tiveram fortes altas após a divulgação de resultados acima do esperado para o segundo trimestre. O Twitter fechou a sexta com alta de 3%, e o Snap, com alta de 24%.

Na sexta, o Dow subiu 0,68%, a 35.061,55 pontos; o S&P avançou 1,01%, a 4.411,79 pontos; e o Nasdaq avançou 1,04%, a 14.836,99.

Assim, as três principais bolsas americanas fecharam em patamares recordes na semana passada, que teve início com perdas das principais bolsas americanas, em meio a temores sobre o impacto da propagação da variante Delta do coronavírus sobre a retomada da economia.

Nesta segunda, a fabricante de veículos elétricos Tesla divulga seus resultados após o fechamento. Na semana passada, o CEO Elon Musk afirmou que a companhia provavelmente passará a aceitar Bitcoins para a compra de veículos novamente. As falas do executivo a respeito da criptomoeda vêm tendo forte impacto sobre esse ativo.

Na terça, Apple, Microsoft e Alphabet, dona do Google, também devem divulgar seus resultados. Na semana, Facebook e Amazon também divulgam seus relatórios de desempenho.

Também na terça o Federal Reserve, o banco central americano, inicia sua reunião de dois dias para discutir suas políticas, com a decisão do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc na sigla em inglês) sendo divulgada na quarta-feira. Já na quinta, o Departamento do Comércio americano divulgará dados sobre o PIB no segundo trimestre nos Estados Unidos.

As bolsas europeias têm quedas. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, recua 0,4%, com destaque negativo para o setor automotivo, que perde 1,4%, e positivo para o de recursos básicos, que avança 0,8%.

A empresa de aviação Ryanair informou um prejuízo de 273 milhões de euros para o segundo trimestre, e alertou que pode encerrar o ano “entre uma leve perda e o ponto de equilíbrio”. Outras empresas com resultados a serem divulgados nesta segunda são Michelin, Faurecia e Philips.

Os investidores continuam a monitorar o avanço da variante Delta de Covid no continente, que é mais contagiosa e vem levando os governos de alguns países a reinstituir restrições de mobilidade.

Veja o desempenho dos principais indicadores às 6h40 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,42%
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,27%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,61%
Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,27%
*Dax (Alemanha), -0,48%
*CAC 40 (França), -0,33%
*FTSE MIB (Itália), -0,04%
Ásia
*Nikkei (Japão), +1,04% (fechado)
*Shanghai SE (China), -2,34% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -4,13% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,91% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,694, a US$ 71,58 o barril
*Petróleo Brent, -0,53%, a US$ 73,71 o barril
*Bitcoin, +10,6%, a US$ 38.102,75
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 0,89%, cotados a 1.136,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 175,34 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,48

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 170 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.

Compartilhe