Bolsas latino-americanas não seguem EUA e fecham sem tendência definida

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas latino-americanas fecharam sem uma tendência definida nesta quarta-feira, apesar do bom desempenho dos índices norte-americanos, que tendem a influenciar os mercados da América Latina. Às 15h46 de Nova York, o Nasdaq Composite apresentava forte alta de 2,97%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P500 apresentavam variações positivas de 0,23% e 0,74%, respectivamente.

O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires fechou em ligeira alta de 0,40%. Ontem, o governo argentino passou pelo seu primeiro teste após a liberação do pacote de ajuda financeira: conseguiu renovar US$ 700 milhões de sua dívida de curtíssimo prazo a taxas menores que as pagas no último trimestre de 2000. O governo pagou para renovação das Letes (Letras do Tesouro) de 94 e 182 dias, taxas de juros de 8,47% e 9,17%, respectivamente. O resultado foi considerado bastante positivo pelos analistas, que esperavam taxas entre 9% e 10%. Na renovação anterior com os mesmos prazos, realizada no ano passado, o governo pagou taxas entre 12% e 13%.
Nesta quarta-feira, o governo argentino autorizou o aumento de 9,1% das tarifas de saneamento, para cobrir um plano de investimento de US$ 1 bilhão no setor. O reajuste será gradual, porém as tarifas de janeiro já sofrerão um aumento de 3,9%. O governo também autorizou o aumento das tarifas das chamadas entre celulares. Segundo o jornal Clarín, o ajuste será variável, mas poderá chegar a 300%.

As maiores altas entre os componentes do índice Merval ficaram para as ações do Banco Rio de la Plata (+10,00%), da Solvay Indupa (+4,63%), da Transportadora de Gas del Sur (+4,55%) e da Molinos Rio de la Plata (+4,55%). Por outro lado, os destaques de baixa ficaram para as ações da Telecom Argentina (-3,48%), da Cresud (-2,41%) e da termoelétrica Central Costanera (-2,26%).

O índice IPC da Bolsa do México encerrou o pregão com variação negativa de 1,60%, após a divulgação do IPC (índice de preços ao consumidor) pelo Banco do México, referente ao mês de dezembro, de 1,08%. No acumulado de janeiro a dezembro de 2000, a inflação totalizou 8,96%. Nesta quarta-feira, o secretário de Energia, Ernesto Robolledo, anunciou que em março será apresentado ao Congresso da União propostas para abrir o setor elétrico e petrolífero à iniciativa privada. O secretário também declarou que o governo mexicano está esperando a decisão da OPEP para definir sua estratégia de venda do petróleo, mas já adiantou que o preço não será menor que US$ 18 por barril.
Hoje, o ministro das Finanças, Francisco Gil, disse que, se o Congresso aprovar algumas medidas de aumento da arrecadação tributária, o México poderá registrar um superávit fiscal em 2001. Em 2000 o governo mexicano apresentou déficit estimado em 1% do PIB, e anteriormente às declarações de Gil, pretendia atingir a meta de 0,5% do PIB em 2001.
Os destaques de queda ficaram para as ações da Hylsamex (-5,38%), do Grupo Industrial Alfa (-5,23%) e do Grupo Financiero Banamex (-4,96%). O Grupo Televisa fechou em baixa de 1,72%, apesar do anúncio que suas vendas antecipadas de tempo publicitário na televisão subiram 11,7% em relação ao ano passado, chegando a US$ 1 bilhão. Contrariando a tendência da bolsa mexicana, as maiores altas ficaram para as ações da TAMSA (+3,36%), da Cementos Mexicanos (+2,80%) e da Vitro (+2,63%).

O índice IBB da Bolsa de Bogotá fechou em alta 0,16%, após a venda de 250 milhões de euros em títulos de sete anos, realizada ontem. O spread da operação foi de 690 pontos-base, ou seja, 6,9% a mais que a taxa do título alemão de mesmo período. Para o ministro das Finanças, Juan Manuel Santos, essa venda dará mais confiança para a taxa de câmbio colombiana.
Esta semana, uma equipe técnica do FMI será enviada para Bogotá para analisar a possibilidade de aumentar a meta de déficit fiscal de 2001, de 2,5% para 2,7% do PIB. Segundo o jornal El Tiempo, a explicação para o aumento do déficit é a decisão da Corte Constitucional, que obriga a pagar aos funcionários públicos um aumento de salário retroativo equivalente à inflação.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa -0,34%
Chile IPSA+0,31%
Peru ISBVL-0,05%
Venezuela IBVC+2,25%

Compartilhe