Bolsas européias sobem influenciadas pelo setor de tecnologia

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas européias operam em alta nesta quarta-feira, impulsionadas pelo setor de tecnologia, que se beneficia da divulgação dos resultados da Intel norte-americana, levemente acima da expectativa do mercado.

Em Londres, o índice FTSE-100 operava em alta de 1,35% às 10h de Brasília, com destaque positivo para as ações da fabricante de semicondutores ARM Holdings (+3,94%) e da empresa de software Sage Group (+3,11%). As empresas de telecomunicações Vodafone (+2,13%) e British Telecom (+1,02%) também apresentavam bom desempenho. Os papéis da prestadora de serviços em eletricidade PowerGen subiam 13,98%, frente à declaração de que a empresa estaria em negociações para uma possível fusão com a empresa alemã E.ON, também do setor de serviços. Por outro lado, as principais quedas ficavam com as ações da distribuidora de combustíveis BG Group (-2,66%) e da petrolífera Shell (-2,56%).

Em Paris, o índice CAC40 subia 1,75%, puxado pelos papéis da fabricante de semicondutores STMicroelectronics (+5,61%), da fabricante de equipamentos para telecomunicações Alcatel (+3,84%) e da empresa de telecomunicações France Telecom (+3,29%). Também subiam os papéis da holding de artigos de luxo LVMH (+4,40%) em virtude da confirmação de sua parceria com a mineradora de diamantes sul-africana DeBeers. Em contrapartida, as principais baixas ficavam com a empresa de mídia Canal+ (-1,74%), com a montadora Peugeot (-1,74%) e com a farmacêutica Aventis (-0,12%).

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX apresentava alta de 1,99%, tendo como destaques positivos as ações da empresa de software SAP (+7,03%), da fabricante de suprimentos para telefonia Siemens (+3,59%) e da montadora DaimlerChrysler (+3,36%). Os papéis da fabricante de semicondutores Infineon Technology também subiam 1,05%. Já os papéis da prestadora de serviços E.ON (-2,50%), da companhia química Basf (-1,75%) e da farmacêutica Bayer (-1,35%) eram os principais destaques de baixa do pregão.

Compartilhe