Bolsas européias fecham sem tendência única

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas européias fecharam sem uma tendência definida nessa sexta-feira. Apesar de influência negativa dos mercados norte-americanos sobre os índices europeus ter sido bastante forte, algumas bolsas fecharam em alta. As atenções dos investidores dos EUA estavam voltadas para o sistema financeiro, até que o Bank of América fez um pronunciamento minimizando os rumores de que sua carteira de crédito estava mal estruturada, afetada pelas dívidas das empresas de serviços públicos da Califórnia. Deste modo, o mercado avaliou o corte dos juros nos EUA como sendo uma manobra do FED para evitar o colapso do sistema financeiro norte-americano, o que derrubou as ações do setor e os índices acionários. O Nasdaq Composite operava em baixa de 4,59%, o Dow caía 1,75% e o S&P 500 também registrava queda de 1,75%

A Bolsa de Londres encerrou suas negociações em alta, com o índice FTSE-100 ganhando 0,20%. Fecharam valorizadas as ações das empresas de telefonia, como a COLT Telecom Group (+6,30%), Telewest Communications (+2,80%), Cable and Wireless (+2,00%), British Telecom (+1,31%) e Vodafone (+1,05%); subiram também as ações do grupo farmacêutico Celltech (+4,44%), da rede hoteleira Hilton (+4,13%), da varejista Tesco (+1,56%) e da petrolífera BP Amoco (+1,21%). Por outro lado, caíram as ações da fabricante de semicondutores Bookham Technology (-7,73%), das fabricantes de software Baltimore Technologies (-7,02%), Sage Group (-6,75%) e CMG (-4,94%); também fecharam o pregão em queda os papéis da maior seguradora inglesa, a CGNU (-5,96%), da Royal & Sun Alliance Insurance (-4,93%), Unilever (-2,97%), Imperial Tobacco Group (-1,67%) e HSBC Holdings (-0,97%).

Em Paris, o índice CAC 40 fechou em queda de 1,00%. Nesta primeira semana de negociações no novo ano de 2001 a bolsa francesa já acumulou queda de 2,83%. As principais ações do índice que fecharam em baixa são as da agência de publicidade on-line EADS (-5,60%), as da Thomson Multimedia (-4,99%), os papéis do Carrefour (-4,76%), da holding LVMH (-3,58%), L’Oreal (-3,44%) e Groupe Danone (-3,34%). Já entre as altas estava a fabricante de autopeças Valeo (+6,74%) após anunciar que sua receita de vendas deve ser 18% maior que o esperado, perto de 9,1 bilhões de euros. Outros destaques positivos foram Peugeot (+4,92%), Credit Lyonnais (+1,62%) e BNP Paribas (+1,11%).

A Bolsa de Madri encerrou suas negociações em alta moderada, com o índice IBEX 35 registrando valorização de 0,04%. Os principais destaques positivos do pregão ficaram com os papéis da empresa do setor hoteleiro Sol Melia (+5,52%), os da mineradora Acerinox (+1,74%) e dos bancos BBVA (+1,04%) e BSCH (+0,25%), além das valorizações do Grupo Prisa (+5,85%), Iberdrola (+2,01%) e Telefônica (+1,63%). Fecharam em queda as ações da bio-farmacêutica Zeltia (-6,19%), do portal de Internet Terra-Lycos (-4,48%) e da petrolífera Repsol (-1,84%)











































Outros Mercados: Milão MIB 30 +0,59%
Amsterdã AMS Exchange -0,50%
Zurique Swiss Market -1,62%
Lisboa BVL 30 -0,15%
Moscou Moscow Times +2,39%
Bruxelas BEL 20 -0,04%
Istambul ISE National-100 -1,87%
Estocolmo Stockholm General +0.65%
Compartilhe