Bolsas mundiais

Bolsas europeias caem com tensões sobre Grécia; Xangai sobe na contramão de bolsas asiáticas

As exportações da China caíram menos que o esperado no mês passado, mas as importações recuaram a um ritmo mais forte, aumentando receios acerca de uma desaceleração da economia

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após a divulgação das importações chinesas vir abaixo do esperado, as bolsas asiáticas tiveram fechamentos diversos nesta segunda-feira (8), temendo desaceleração na economia do gigante continental. Às 7h53 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 0,57%. No sentido oposto, o índice SSEC de Xangai fechou com ganhos de 2,17%, a 5.131 pontos.

As exportações da China caíram menos que o esperado no mês passado, mas as importações recuaram a um ritmo mais forte, aumentando receios acerca de uma desaceleração da economia e dando a Pequim novos motivos para adotar mais medidas de estímulo. As exportações da China em maio caíram 2,5% em dólares na comparação com o ano anterior, uma queda menor do que a esperada pelo mercado, enquanto as importações tombaram 17,6%.

Considerando expectativas de uma leve recuperação nos níveis de importação em maio devido aos preços do petróleo em recuperação, “a queda contínua nas importações sugerem que fatores no lado da demanda – consumo doméstico enfraquecendo – estão atuando”, disse o economista da Forecast Pte Chester Liaw.

Aprenda a investir na bolsa

Ainda nessa segunda, o índice japonês Nikkei se recuperou de mínimas do começo da sessão, mas ainda terminou o pregão em leve queda. Em Hong Kong, o índice HANG SENG subiu 0,21%, a 27.316 pontos, acompanhado pelo TAIEX, de Taiwan, com alta de 0,3% a 9.368, enquanto em Singapura, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,40%, a 3.320 pontos, e o KOSPI, de Seul, teve desvalorização de 0,14%, a 2.065 pontos.

Grécia e Rússia preocupam G7
Na Europa, o dia é de leves perdas enquanto as tensões geopolíticas seguem eliminando o apetite por riscos por parte do mercado. A exceção fica por conta dos papéis do Deutsche Bank, que sobem forte após rumores de renúncia na diretoria. O índice FTSEurofirst 300, depois de um começo de pregão mais otimista, acompanhou o movimento negativo das principais bolsas do continente.

No plano geopolítico, mexem com o humor dos mercados a notícia de que líderes do G7 decidiram manter sanções contra a Rússia enquanto o presidente Vladimir Putin e os separatistas por ele apoiados não firmarem um termo de paz com a Ucrânia, além do clima de tensão quanto à capacidade da Grécia honrar o pagamento de suas dívidas. As expectativas são de que novas negociações tomem posto nesta semana. 

As tensões sobre a natureza prolongada das negociações veio à tona domingo, quando o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker acusou o primeiro-ministro grego Alexis Tsipras de distorcer propostas de reforma por parte dos credores da Grécia e de arrastar os pés em oferecer um plano alternativo.