S&P 500 registra maior sequência semanal de ganhos desde 2004, mesmo sem atingir máxima histórica; EWZ cai

Bolsas em NY fecharam em queda, mas com valorização anual

Equipe InfoMoney

Publicidade

Os principais índices acionários norte-americanos se despediram de 2023 com queda no último dia de negociação de 2023, enquanto o EWZ, ETF que representa as empresas brasileiras em NY, recuou 0,48%.

Em sessão com baixa liquidez, o S&P 500 perdeu 0,28%, nesta sexta-feira (29), mas mesmo assim garantiu a nona semana consecutiva de ganhos, na mais longa sequência positiva desde janeiro de 2004.

Ao longo da sessão, o S&P quase atingiu outro marco, dos 4.796 pontos, alcançado em janeiro de 2022, representando máxima histórica do índice. Faltou pouco, na máxima do dia, até que o índice virou e fechou em queda, de 0,28%, a 4.769 pontos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Enquanto isso, o Nasdaq caiu 0,53% nesta sexta-feira, para 15.014 pontos, e o Dow Jones recuou 0,03%, para 37.696 pontos. Os dois índices marcaram, no entanto, a maior sequência de ganhos desde 2019.

Ao longo de 2023, o S&P 500 registrou valorização de 24%, o Dow Jones avançou 13,7% e o Nasdaq foi o grande vencedor do ano, com alta de 43,4%, em seu melhor ano desde 2020, impulsionado pelo boom da inteligência artificial.

A valorização dos mercados em Wall Street, sobretudo nos últimos meses deste ano, se basearam, contudo, na expectativa, cada vez maior entre os investidores, de que o Fed possa começar a cortar os juros nos EUA já em março.

Continua depois da publicidade

NYSE: EWZ

O EWZ, iShares MSCI Brazil, ETF que representa os recibos de ADRs das ações de empresas listadas na bolsa de NY, fechou com queda de 0,43%, nesta sexta.

Entre os principais recibos de ADRs, os da Vale caíram 0,19%, assim como os da Petrobras: PBR, -0,37%; PBR.A, -0,33%.

No setor bancário, os recibos do Bradesco recuaram 1,13% e os do Itaú caíram 0,52%. Os da Ambev cederam 0,71%.

Nesta sexta-feira, a B3 não abriu. Ontem, no último pregão do ano, a bolsa fechou estável, mas acumulou alta de 22% em 2023.