Bolsas da Europa sobem após abertura negativa, com foco no quadro político francês

Ontem, a aliança esquerdista da França conquistou o maior número de assentos no segundo turno das eleições legislativas e freou a ascensão da ultradireita, com o apoio do centro

Estadão Conteúdo

Publicidade

São Paulo, 08/07/2024 – As bolsas europeias operam em alta na manhã desta segunda-feira, revertendo perdas do começo do pregão, embora o Parlamento da França enfrente a possibilidade de paralisação após a surpreendente vitória da esquerda nas eleições parlamentares do fim de semana.

Por volta das 6h25 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 avançava 0,41%, a 518,71 pontos.

Ontem (07), a aliança esquerdista da França conquistou o maior número de assentos no segundo turno das eleições legislativas e freou a ascensão da ultradireita, com o apoio do centro.

Continua depois da publicidade

A esquerda, porém, não garantiu maioria absoluta no Parlamento, levando analistas a prever que as negociações para a formação de um novo governo francês serão difíceis.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita 

O impasse político na França veio após as eleições gerais do Reino Unido da semana passada, em que a oposição trabalhista teve uma vitória histórica, pondo fim a 14 anos de governos conservadores.

Continua depois da publicidade

A agenda de hoje está esvaziada, mas o foco nos próximos dias será os EUA, com depoimento do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, novos dados da inflação ao consumidor (CPI) americano e o início da temporada de balanços corporativos da maior economia do mundo.

Às 6h40 (de Brasília), a Bolsa de Paris subia 0,43%. A ação do BNP Paribas, maior banco francês, registrava modesta alta de 0,40% e a do Société Générale avançava 1%.

Em outras partes da Europa, a Bolsa de Londres tinha ganho de 0,26% e a de Frankfurt, de 0,48%, enquanto as de Milão e Madri subiam 0,71% e 0,15%, respectivamente. Exceção, a de Lisboa caía 0,30%.