Bolsas da Europa fecham em queda, com chance remota de alívio nos EUA em março; Unicredit salta

Em entrevista transmitida pela CBS na noite de domingo, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, reafirmou que um corte de juros em março não é o mais provável

Estadão Conteúdo

Publicidade

As bolsas europeias fecharam na grande maioria em queda nesta segunda-feira, 5, diante da cautela dos investidores à medida em que fica cada vez mais remoto o início do corte da taxa de juros nos EUA em março. Em entrevista transmitida pela CBS na noite de domingo, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, reafirmou que um corte de juros em março não é o mais provável.

O presidente do banco central dos Estados Unidos disse ainda que deve “esperar para ver” dados antes de começar a flexibilizar a política monetária. Entre as ações na Europa, o Casino cedeu com incerteza sobre processo de reestruturação, mas Unicredit disparou, após anúncio de recompra e dividendos aos acionistas.

Em Paris, o CAC-40 fechou em baixa de 0,03%, aos 16.904,06 pontos. Em Londres, o FTSE-100 cedeu 0,04%, aos 7.612,86 pontos e o DAX, de Frankfurt, perdeu 0,08%, aos 16.904,06 pontos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Na Bolsa de Paris, a ação da Casino caiu 4,41%, em meio a incertezas sobre o processo de reestruturação da empresa, acionista do Grupo Pão de Açúcar (GPA) no Brasil.

Na sexta-feira, a companhia informou ter recebido o aval das autoridades regulatórias competentes e que agora só depende do sinal verde da Justiça francesa. Segundo a imprensa local, a Junta Comercial de Paris deve analisar o caso ainda nesta segunda, mas sindicalistas trabalham para travar o negócio, diante do temor de que haja cortes de empregos.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB subiu 0,76%, aos 30.952,79 pontos, com os papéis do Unicredit liderando a alta dos bancos italianos.

Continua depois da publicidade

O Unicredit subiu 8,10%, após a instituição bancária anunciar que pretende distribuir a seus acionistas 8,6 bilhões de euros referentes a 2023, ou 3,35 bilhões de euros a mais do que um ano antes, após o lucro no quarto trimestre do ano passado superar as projeções.

Contagiados pelo resultado, o Banca Monte dei Paschi di Siena avançou 3,81% e o Intesa Sanpaolo, 2,34%.

Em Madri, o IBEX-35 caiu 1,20%, perdeu os 10.000 pontos e fechou aos 9.941,30 pontos. O índice foi penalizado pelos papéis do Santander, que caíram 4,96%.

Segundo o Financial Times, o Lloyds e o Santander UK forneceram contas a empresas de fachada britânicas, supostamente de propriedade secreta de uma empresa petroquímica iraniana alvo de sanção, informou o jornal, citando documentos. Com base na sua investigação, o Santander disse que não viola as sanções dos EUA.

Em Londres, as ações do Lloyds recuaram 2,13%. Um porta-voz do Lloyds disse que as “atividades comerciais do credor são conduzidas para garantir o cumprimento das leis de sanções aplicáveis”.

Em Lisboa, o PSI 20 cedeu 0,54%, aos 6.223,45 pontos.